domingo, 1 de dezembro de 2013

De: livia Kersten=
Para: Mae Maria
Assunto: Obsidiar - movimento de lá prá cá

Mãe,
acho que o ser humano sempre procura um jeito de "tirar o seu da reta". Aí, inventa um capeta aqui, uma geena ali, um Hades do outro lado e vai pela vida afora atribuindo ao acaso o resultado de seus erros.
Li uma vez, que quem acredita em acaso nao crê em Deus. Não é mesmo?
Daí, se eu ando pelas vielas mal iluminadas, com roupas esquisitas (para não dizer outra coisa), de braços com pouca produtividade - devo esperar o quê? No mínimo um atraso de vida.
Agora, a  moda é deixar tudo amarrado em nome de Jesus e haja barbante  no plano astral para segurar tanta iniquidade, egoísmo, vaidade e outros toquinhos onde nos sentamos comodamente para ver a vida passar, ou deixar a vida nos levar.
Então, como está na moda, vamos culpar quem? Criam-se novos nomes para velhos atrasos, vinculam-se a velhos dogmas porque os novos nada mais são que reedição daqueles, e o que parece ser mais complicado: continua-se a não ter culpa (não gosto da palavra), ou responsabilidade por nada, porque não controlamos nada, nem mesmo a nossa vida que deixamos nas mãos de Deus.
Não é bonitinho? Dai, neguinho morre e chega no astral (se for espiritualista piora a coisa, porque acha que vai morar em Aruanda ou em Nosso Lar) e então  descobre que o que tem lá está muito parecido com o que deixou aqui, se é que deixou, e pensa: vou mudar pra quê? É tudo a mesma coisa, vou é me ajeitar. E dali parte para ficar coladinho a um ou outra e repetir o mesmo velho modelo.
Quando Francisco de Assis recebe o apelo de Jesus para mudar a sua Igreja, deveríamos ter entendido que o recado era para mudar a alma que se quer ter divina. Então, a receita do bolo só leva como fermento a Reforma ìntima que faz com que a massa(vida?) seja leve e palatável.
É isso. Acho que os livrinhos aqui do Instituto Histórico me inspiram - ou são mesmo os espíritos dos judeus sábios e estudiosos que me sopram aos ouvidos as ideias que te repito.
De qualquer forma, agradeço a Deus por ele colocar tanta coisa bonita na minha vida - a Umbanda, a Chama, o Espiritismo e pessoas tão lindas como as que tenho encontrado na Casa branca de Oxalá.
beijo Mãe
até amanhã com fé no Eterno, como eles dizem por aqui.
PS.: Já te falei que as vezes acho que minha preta era judia?
Filha Livia

Nenhum comentário: