quarta-feira, 30 de maio de 2012

RITOS DA CASA BRANCA

RITO INDIVIDUAL


O RITO DO MÉDIUM DA CASA BRANCA DE OXALÁ INICIA- SE NO MOMENTO EM QUE ELE SE DECIDE A FAZER PARTE DA CORRENTE; É A VIGILÂNCIA, O CUIDADO, COM AS ENTIDADES QUE COM ELE TRABALHAM, O CUIDADO  CONSIGO MESMO OBSERVANDO SEMPRE A HIGIENE CORPORAL, A ATENÇÃO COM  SUA SAÚDE FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL. TOMAR SEMPRE UM BANHO DE DESCARREGO ANTES DAS REUNIÕES E PRINCIPALMENTE TER A VONTADE INTERIOR DE PRESTAR ALGUM AUXÍLIO AO PRÓXIMO.

O CAMINHO INICIÁTICO


É DE LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE QUE O MÉDIUM SE INICIA NA UMBANDA. NÃO DEVE NUNCA HAVER PRESSÕES, NEM MEDOS E SUPERSTIÇÕES; MUITO MENOS PROMESSAS QUE POSSAM DESPERTAR NO MÉDIUM VAIDADES E ANSEIOS DE PODER OU DE MILAGRES.
INICIAÇÃO QUER DIZER CAMINHAR PARA DENTRO, OU SEJA CONHECER -SE MELHOR. O INICIANDO É PORTANTO AQUELE QUE DECIDIU CAMINHAR PARA DENTRO DE SI MESMO, EM BUSCA DA SUA VERDADE.

EXISTEM  7  PASSOS INICIÁTICOS. QUATRO DELES NÓS CHAMAMOS DE INICIAÇÕES ESSENCIAIS, OU SEJA,  AQUELAS QUE SÃO DETERMINADAS PELOS ZELADORES DA CASA E  QUE OS MÉDIUNS,  PARA FREQÜENTAR A CASA,  TÊM QUE  FAZÉ-LAS.

1.      VINCULAÇÃO


APÓS O MÉDIUM TOMAR CONHECIMENTO DAS NORMAS DO TERREIRO. É A LIGAÇÃO OFICIAL DO MÉDIUM A CASA E DE SUAS ENTIDADES À CASA BRANCA DE OXALÁ. AS ENTIDADES E O MÉDIUM PASSAM A FAZER PARTE DA EGRÉGORA DA CASA BRANCA. O QUE NÃO QUER DIZER QUE ELE ESTÁ " PRESO" À CASA, POIS RELIGIÃO É ANTES DE TUDO LIBERDADE DE ESCOLHA, MAS A PARTIR DO MOMENTO DA VINCULAÇÃO TEM DETERMINADAS RESPONSABILIDADES A CUMPRIR. ESSA RESPONSABILIDADES CONTINUAM ATÉ O MOMENTO EM  QUE ELE, O MÉDIUM,  

POR DECISÃO PRÓPRIA NÃO MAIS QUISER FREQÜENTAR A CASA. NESTA INICIAÇÃO O MÉDIUM GANHA A GUIA DA CASA, DE LÁGRIMAS DE NOSSA SENHORA, DETERMINADA PELO GUIA CHEFE DA CASA , PAI JOAQUIM DE ANGOLA.

OBS.: O MÉDIUM SÓ SERÁ VINCULADO COM A AUTORIZAÇÃO DE PAI JOAQUIM.

2.      EXÚ/POMBA GIRA


É A LIGAÇÃO OFICIAL DO EXÚ  POMBA GIRA DO MÉDIUM  À CORRENTE DOS EXÚS  POMBAS GIRAS DA CASA, TENDO  A RESPONSABILIDADE DE ZELAR E GUARDAR OS MÉDIUNS. NO CASO DO MÉDIUM NÃO TER AINDA SEU EXÚ OU POMBA GIRA MANIFESTADO ELE FARÁ A INICIAÇÃO E TERÁ COMO "PADRINHO"(DIGAMOS ASSIM) UM EXÚ OU POMBA GIRA QUE JÁ ESTÁ VINCULADO A CASA OU UM DOS EXÚS OU POMBA GIRA DOS ZELADORES. NESTA INICIAÇÃO O MÉDIUM GANHA A GUIA DE EXÚ OU POMBA GIRA. 

OBS.: O MÉDIUM SÓ FARÁ A INICIAÇÃO COM A AUTORIZAÇÃO DE PAI JOAQUIM

3.      AMACÍ


NO ESPAÇO DE 7, 14 OU 21 DIAS APÓS A INICIAÇÃO DE EXÚ. É UM BANHO DE PURIFICAÇÃO DESTINADO A AURA , OU CORPO ASTRAL E PRINCIPALMENTE À CABEÇA DO INICIANDO. AS ERVAS SÃO MACERADAS E FICAM EM REPOUSO NA ÁGUA. SÃO MOLHADAS AS PARTES ESSENCIAIS DO MÉDIUM, OU SEJA A CABEÇA PARA QUE ELE TENHA SEMPRE BONS PENSAMENTOS, AS MÃOS PARA QUE ELE SEMPRE SAIBA FAZER O BEM, E OS PÉS, PARA QUE ELE SAIBA ONDE CAMINHAR  E SE CONDUZIR COM PUREZA E DIGNIDADE.

4.      OXALÁ


É A HARMONIZAÇÃO QUE CADA MÉDIUM FAZ COM A ENERGIA DESTE ORIXÁ. COM ISTO ELE RECEBE A GUIA DE OXALÁ TERMINANDO ASSIM AS INICIAÇÕES COMPULSÓRIAS OU ESSÊNCIAIS. A PARTIR DAÍ A ESCOLHA DE CONTINUAR É DO MÉDIUM OU DE SEUS GUIAS.

OBS.: O MÉDIUM SÓ FARÁ A INICIAÇÃO COM A AUTORIZAÇÃO DE PAI JOAQUIM

5.      DOIS ORIXÁS


É A HARMONIZAÇÃO DE CADA MÉDIUM COM AS ENERGIAS DOS SEUS DOIS ORIXÁS ( OS QUE ELE TEM MAIS AFINIDADE FLUÍDICA , ESPIRITUAL E ENERGÉTICA) NESTA INICIAÇÃO O MÉDIUM GANHA AS GUIAS DE SEUS DOIS ORIXÁS.

6.      SACERDÓCIO


É A HARMONIZAÇÃO DO MÉDIUM COM OS DOZE ORIXÁS, SEU COMPROMISSO DE SERVIR A UMBANDA .

OBS.: PARA ESSA INICIAÇÃO EXISTEM CRITÉRIOS QUE SERÃO CONHECIDOS POSTERIORMENTE.

7.      CONFIRMAÇÃO SACERDOTAL


SETE MESES APÓS O SACERDÓCIO. AO SER REALIZADA ESTA INICIAÇÃO O SACERDOTE GANHA ENTÃO TODOS OS DIREITOS DE ADMINISTRAR SUA PRÓPRIA CASA DE UMBANDA, OU NUMA NECESSIDADE SUBSTITUIR OS ZELADORES DA CASA. TEM A PERMISSÃO E O RESPEITO DO CAMPO ASTRAL, DAS ALMAS,  PARA DIRIGIR COORDENAR E ASSUMIR DE FATO E DE DIREITO, UM TEMPLO UMBANDISTA.

sábado, 12 de maio de 2012

DEFUMAÇÃO



Durante a queima de ervas odorantes desprendem-se energias ocultas, potencializadas no éter vegetal e que podem afastar os maus fluidos do ambiente onde atuam. Sem dúvida, seria absurdo alguém mobilizar fumaça de ervas para limpar paredes, abrir janelas ou descascar batatas. Mas não é insensato a fumaça afastar, dispersar fluídos nocivos, obediente à mesma lei de correspondência vibratória, que permite ao homem-matéria acomodar-se numa cadeira material e o espírito desencarnado sentar o seu corpo astral numa cadeira confeccionada de substância astralina.
Desde o instante em que as ervas principiam a germinar no seio da terra até o momento em que são colhidas, elas extraem do solo toda a sorte de minerais, vitaminas, proteínas, sais químicos e umidade, além de imantadas pelos raios solares, eflúvios elétricos e magnéticos provindos da própria Lua, além de impregnados do ectoplasma terráqueo, supercarregadas de éter-físico, prana e da energia vigorosa que é o fogo “kundalíneo”.
Algumas plantas são fontes prodigiosas de utilidades benfeitoras à humanidade, já na sua contextura física, como é a carnaubeira, vegetal da família das palmáceas. O homem pode extrair dela: açúcar, sal, álcool, ração para o gado, madeira para habitação, combustível para iluminar, resina para cola, medicamento para sífilis, úlceras, erupções e reumatismo. São mais de 40 utilidades já catalogadas nessa planta maravilhosa, cujo poder e serventia, considerados apenas no campo físico, ainda prolongam-se pelo mundo etéreo-astralino, num campo de forças incomuns! Enfim, todo o potencial que se elabora no seio da planta, durante os meses de sua vivência no solo seivoso da terra, depois é liberto em alguns minutos na defumação, projetando em torno um potencial de forças, que, além de sua manifestação propriamente física, ainda desagregam miasmas e bacilos astralinos disseminados no ambiente humano.

A queima de ervas defumadoras também obedece a uma determinada disciplina mental ou concentração, atraindo a cooperação de espíritos de pretos-velhos, caboclos e bugres, simpáticos a tal processo tradicional de defesa psíquica, os quais ajudam a amenizar na limpeza das pessoas enfeitiçadas. Considerando que a matéria é energia condensada em “descida” vibratória do mundo oculto, a defumação representa uma operação inversa ou liberação de energias, as quais passam a repercutir novamente nos planos etéricos e astralinos de onde se originaram. O perfume, ou a exalação natural das plantas, também age na emotividade e na mente do ser, pois o seu odor associa ideias e reminiscências místicas, conforme acontecia nos templos iniciáticos do Egito, da Grécia, Índia e Caldéia. A defumação composta de incenso, sândalo e mirra, tão tradicional e estimulante para o espírito, que produzia uma condição receptiva e inspirativa simultaneamente nos planos físico, astral e etéreo, ainda hoje é uma espécie de bálsamo espiritual.
Há certos tipos de ervas cuja reação etérica é tão agressiva e incômoda, que torna o ambiente indesejável para certos espíritos, assim como os encarnados afastam-se dos lugares saturados de enxofre ou gás metano dos charcos. Aliás, as máscaras contra gases provam suficientemente quanto à existência de certas fumacinhas que também podem aniquilar os seres humanos! Há perfumes que inebriam determinadas pessoas, mas causam cefaléias, tonturas e até náuseas noutras criaturas. O odor ácido e picante do alho e da cebola, que aguça o apetite nas saladas das churrascarias, depois é detestado pela produção do mau hálito. Durante a queima de ervas produzem-se reações agradáveis ou desagradáveis no mundo oculto, porque, além de sua propriedade física, elas também libertam outras energias provenientes do armazenamento do éter e do magnetismo físico no duplo etérico do vegetal. O cheiro ou a exalação das ervas e flores que afetam o olfato dos encarnados também é um campo vibratório. Cada espécie vegetal no mundo possui a sua característica fundamental e atende a uma necessidade na Criação. A mesma seiva venenosa da cicuta, que mata, hoje serve benfeitoramente na medicina homeopática, curando convulsões, estrabismo, efeitos de comoção no cérebro ou da espinha.
Deus não criou as espécies vegetais apenas como enfeites do mundo, pois elas atendem simultaneamente às necessidades da vida manifesta no plano físico, etéreo e astralino.
Fonte: “Magia de Redenção”

segunda-feira, 7 de maio de 2012


Bater a cabeça

 Esse é o ato de submissão em que nos abaixamos diante Deus e todos os orixás, pedindo sua proteção. O médium se abaixa e toca suavemente a testa no chão, sim suavemente, mostrando respeito pela terra que toca e sendo humilde ao se abaixar diante de Deus. Com a cabeça voltada e prostrada na toalha, também significa a solicitação da benção do seu pai espiritual e do seu orixá, significando num ato de humildade a obediência e resignação aos preceitos religiosos, devendo significar a aceitação desta casa e de seus mentores como seus condutores no caminho de Deus e de nossa religião. As mãos voltadas com as palmas para cima, no mesmo nível que a cabeça, complementam o recebimento das emanações vibratórias positivas de Deus, dos orixás e de seus mentores espirituais.
Dizem que o ato de bater a cabeça, surgiu ainda na senzala, com os negros escravos. Sim com eles mesmos, dizem que  como eles eram obrigados a reverenciar santos católicos, colocavam os assentamentos dos Orixás sob o altar dos santos católicos. Como não aceitavam estar acima da vibração dos Orixás, se deitavam no chão e encostavam a testa na terra, para estar no mesmo nível (altura) dos assentamentos, e como submissão encostavam a testa no chão pedindo-lhes a benção.
Em muitas casas, que não possuem um lugar reservado para os assentamentos, colocam  os mesmos sob o altar, assim os Dirigentes e seus filhos batem a cabeça para pedir a benção  a Deus e os Orixas regentes da casa.
Quando batemos a cabeça, encostamos o chacra frontal (testa), no chão, pedindo a benção a Deus, encostamos o canto direito da testa pedindo a benção a todos os Orixás e mentores da casa, encostamos o canto esquerdo da testa saudando as forças da casa (diretia e esquerda).

Paulo Ludogero

sexta-feira, 4 de maio de 2012


A casa Branca de Oxalá,convida seus filhos e amigos para a festa do Preto Velho no dia 16 ( Quarta feira) às 20:00
 


AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO VELHO

Num cantinho de um terreiro, sentado num banquinho, pitando o seu cachimbo, um triste velho chorava.
Dos olhos molhados de seu médium, grossas lágrimas desciam-lhe pela face e não sei porque as contei... eram sete.
Na incontida vontade de saber, aproximei-me e o interroguei: "Fala meu Preto Velho, diz ao teu filho porque externas assim tão visível dor ?"
E ele suavemente respondeu:
Estais vendo esta multidão que entra e sai ? As lágrima que contastes estão distribuídas a cada um que fazem parte dela
A PRIMEIRA, eu dei estes indiferentes que aqui vem em busca de distração para saírem ironizando aquilo que suas mentes ofuscadas não podem conceber ou entender...
A SEGUNDA, a estes eternos duvidosos que acreditam desacreditando, na expectativa de um milagre que os façam alcançar aquilo que seus próprios merecimentos negam...
A TERCEIRA, distribuí aos maus, aqueles que somente procuram a Umbanda em busca de vingança, desejando prejudicar os seus semelhantes...
A QUARTA, dei aos frios e calculistas que sabem que existe uma força espiritual e procuram beneficiarem dela de qualquer forma e não conhece a palavra gratidão...
A QUINTA, chega suave... tem o riso, o elogio da flor dos lábios, mas se olharem bem o semblante para quem ela é dirigida, verão escrito: Creio na Umbanda, no teu Zambi, nos teus Caboclos e Pretos Velhos mas somente se resolverem meu caso, me curarem disto ou daquilo...
A SEXTA, eu dei aos fúteis que vão de Centro em Centro, acreditando em nada, buscando aconchegos e conchavos e seus olhos revelam um só interesse deferente...
A SÉTIMA, filho, notas como foi grande e deslizou pesada ? Foi a última lágrima; aquela que vive nos olhos de todos os Orixás.
Fiz doação desta aos Médiuns vaidosos que só aparecem no Centro em dias de festa e faltam aos trabalhos de CARIDADE e DESENVOLVIMENTO.
Esquecem que existem tantos irmãos precisando de CARIDADE e tantas crianças precisando de amparo MATERIAL e ESPIRITUAL. Esquecem que, ajudados foram, agora é hora de ajudar.
Assim, filho meu, para estes todos é que vistes deslizar uma a uma, AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO VELHO.
Então com minha alma em pranto, tornei a perguntar:
"Não tens mais nada a me dizer, meu PRETO VELHO ?"
Vi um clarão em seu rosto e ele me respondeu:
"Mando a luz da minha transfiguração para aqueles que esquecidos pensam que estão... Mas eles formam a maior dessas multidões.
São os humildes, os simples, estão na UMBANDA pela UMBANDA, na confiança pela razão. São meus filhos de fé.
São "aparelhos" trabalhadores, silenciosos, cujas ferramentas se chamam DOM e FÉ, e cujos "salários" de cada noite são pagos quase sempre com uma só moeda, que traduz o seu valor numa única Palavra...INGRATIDÃO."