terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Boas Festas

A Casa Branca de Oxalá vem em nome de seus Pais de Terreiro, seus filhos, fiéis e amigos, desejar-lhes um  Ano de 2011 repleto de paz , harmonia e saúde.
Mãe Maria

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Beijamim Figueiredo ( Tenda caboclo Mirim )

O LEGADO DE BENJAMIN FIGUEIREDO -






INTRODUÇÃO

Escrever sobre Benjamin Gonçalves Figueiredo não é apenas falar do homem e do médium, porque sua vida se mistura com a mensagem e com a obra de seu mentor espiritual, um dos mais importantes dirigentes espirituais da Umbanda: o magnífico Caboclo Mirim. Ambos serão para sempre um exemplo edificante de amor ao próximo e de luta pela dignidade do culto umbandista.
Em um momento histórico-cultural difícil para a Umbanda, Benjamin Figueiredo foi um dos principais expoentes no movimento pela evolução do culto e pelo reconhecimento das casas umbandistas junto às autoridades de seu tempo, estando lado a lado de alguns dos incansáveis guerreiros dos primeiros anos da nossa querida Umbanda, tais como Zélio Fernandino de Moraes, Domingos dos Santos, João Carneiro de Almeida, José Álvares Pessoa, Manoel Nogueira Aranha, João de Freitas, Cavalcanti Bandeira, Cícero Bernardino de Melo, Narciso Cavalcanti, Félix Nascente Pinto, Jerônimo de Souza, Henrique Landi Júnior, Matta e Silva, Tancredo da Silva Pinto, Átilla Nunes (pai), Omolubá, Flavio da Guiné, dentre outros.
Por toda uma vida voltada à unificação dos umbandistas, Benjamin Gonçalves Figueiredo deixou registrada em nossa memória as lembranças do incansável líder, do médium admirável de Caboclo Mirim e de Pai Roberto e do homem cuja integridade e ideais em muito superaram os seus dias, nos trazendo até os dias de hoje os ecos de uma bela mensagem de fé e de determinação em tirar a Umbanda da marginalidade a qual esteve relegada pela sociedade brasileira até meados do século passado.

                                                  
                                              A ANUNCIAÇÃO DA UMBANDA
Há cerca de 20 anos após a proclamação da República, a sociedade brasileira vivia profundas transformações, ainda em busca de sua personalidade, de sua “brasilidade”. No mundo das artes, por exemplo, um grupo de artistas revolucionava a estética e a linguagem na Semana de Arte Moderna de 1922. Esse sentimento nacionalista viria também a se manifestar na política, com a ascensão de Getulio Vargas ao poder, já na década de 1930. Era o fim da hegemonia da elite agrária e a implantação do Estado Novo.

A característica mestiça da população brasileira passava a ser valorizada, tida como forma de união da nação. Por essa visão, os vários grupos raciais ganhavam igual importância na formação da civilização brasileira. Esta ideologia ajudou na crença de que o preconceito racial não existia no Brasil. Gilberto Freyre, em seu livro "Casa Grande e Senzala" (1933), foi um dos intelectuais que deram suporte a tal tese.
Até o samba, manifestação cultural oriunda da cultura negra brasileira, era redescoberto e reformatado, levado a um universo mais amplo: brilhava a estrela de Carmem Miranda!
E dentro deste contexto nacional, um fato marcante, para aqueles que se propõe a estudar as origens da Umbanda, veio a consolidar-se como o marco inicial da religião: a famosa manifestação do Caboclo das Sete Encruzilhadas em 1908, através do seu médium Zélio Fernandino de Moraes (1891-1975), na cidade de Niterói, então capital do antigo estado do Rio de Janeiro. A data, 15 de novembro, é a mesma da comemoração da proclamação da República brasileira. Coincidência?
Diante de uma respeitada e organizada Federação Espírita Brasileira, Caboclo das Sete Encruzilhadas pôde deixar registrada a definição do novo movimento religioso: "Uma manifestação do espírito para a caridade”. Caridade, a principal lei da Umbanda, religião do amor fraterno em benefício dos irmãos encarnados, qualquer que fosse a cor, a raça, o credo e a condição social. Continua...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

BATISMO

A casa Branca de Oxalá, vai celebrar o Batizado de Quinze crianças, hoje dia 01/12/2010.
Que sejam muito bem vindas na nossa Casa.
Abaixo transcrevemos o Ritual do Batismo.
Fraternalmente Mãe Maria


LITURGIA DO BATISMO

======== Neste momento os batizandos entrarão no Templo, junto com pais e padrinhos, e serão recebidos pelos presentes com um ponto especial ao som de palmas:

HOJE É DIA DE NOSSA SENHORA...

UMBANDA É FORÇA MEU PAI...

========Inicia-se o ritual da mesma maneira que se inicia a sessão. Abre-se a gira, com a defumação de todos, cantando a seguir para o Tronqueira, seu Miromba, para os Exus da Casa, e assim por diante, até o cruzamento do terreiro. Após o cruzamento, virá o guia chefe da casa e os outros sacerdotes fazem o Batismo.

Pelo batismo, o nosso Espírito toma consciência de que tem dentro de si a Centelha Divina e que a mesma é proveniente dessa Santa Trindade. O batismo nos dá a consciência de que somos filhos do Pai, irmãos de Cristo, e que nosso corpo é o templo dos Orixás. O batizado deve também ensinar-nos a viver, nos limites de nossa natureza. Reunidos pela Santa Trindade, e por isso responsável pela União de todos os irmãos em nome de Oxalá.

O Ritual do Batismo inicia-se pelo nome. O nome exprime a identidade pessoal a ser reconhecida pelos outros, chamada a colocar-se a serviço de todos seus irmãos em Cristo. No batismo, reconhece-se oficialmente o nome da criança.

=========O celebrante pede aos pais que falem, em voz alta o nome das crianças. ............................. Por isso, cada ser humano é um ser único, diferenciado, tanto no que tange à matéria na qual o espírito está encarnado como no tocante ao próprio espírito. O nome equivale à própria pessoa. O nome, em outras palavras, pode e na maioria das vezes determina a missão do ser neste mundo e a sua própria história espiritual.

========O celebrante falará aos batizandos chamando-os pelo nome:

“RAFAELA, DANTHER, ADRIAN, ALAN, MARIA EDUARDA, YARA, FERNANDA, MATHEUS, RODOLFO, ALEXIA, JOÃO FRANCISCO, SAMUEL, CAUÃ, LUDIMILA E GEOVANNA e dizer em seguida:

Você no futuro deverá, quando já independente, ser aceito com suas próprias idéias, com seus sentimentos e sua maneira de ser. Mas, durante a sua infância e adolescência, e em especial nos seus sete primeiros anos, cabe ao seu pai, à sua mãe e aos seus padrinhos, cuidarem da sua formação espiritual, pois esses ensinamentos dados na época certa serão, sem nenhuma dúvida, a base do seu caráter. Por isso, quando os pais pedem o batismo para seus filhos, estão assumindo o compromisso de educá-los na fé Cristã e propiciar aos filhos a convivência com a religião. No cumprimento deste compromisso de educar seus filhos na fé, os pais são ajudados pelos padrinhos.

========A seguir o celebrante inicia o cruzamento com a Pemba. O cruzamento com a Pemba simboliza o pertencimento, do batizando, à religião Umbandista Cristã. O sinal do cristão é a cruz de Cristo. Quem é marcado com a cruz tem a Centelha Divina dentro de si e é, portanto filho de Deus.

Eu te cruzo com esta pemba Sagrada, para que você tenha paz, saúde e possa vencer todos os seus desafios.

Que esta pemba traga até você toda sua energia benéfica afastando todos os males que possam te atingir

========A seguir, o celebrante derramará sobre a cabeça a água do Batizando, repetindo seu nome e explicará a todos.

A água é o símbolo de todas as emoções. Essa água que agora derramo na sua cabeça é o símbolo da vida espiritual. E o renascimento de seu espírito para a vida Terrena. Que ela seja plena de harmonia amor e paz. Que Obatalá, Oxalá, e todos os Orixás te abençoe, hoje e sempre.

========Neste momento o celebrante começa a unção do batizando com o Óleo Bento e será cruzados fronte, testa, nuca, Chacra Coronário, Plexo Solar, mãos e pés do batizando.

Este Óleo significa a presença, em você da energia de todos os Orixás. Ele significa que você buscará, ao longo de sua vida, ser um elemento irradiador das energias benéficas dos Orixás. Este óleo significa a força que você, terá para e pela fé Umbandista, vencer todo o mal que possa chegar a você e lapidar a Centelha divina para alcançar sua Luminosidade.

========Neste momento o sal é colocado na boca do Batizando.

O ritual de batismo, na Umbanda, em que cristais de sal são colocados nos lábios dos recém-nascidos, o sal toma o sentido de sabor da vida, da sabedoria, da aliança com Olorum. Por isso, Cristo fala “vós sois o sal da terra (Mat. cap. 5 v.13)”, ou seja, vocês terão o sabor necessário, a sabedoria exigida para todos que perto de você chegar possa ser transmitido à palavra viva do amor e caridade. Pois o sal é o símbolo da sabedoria e da religiosidade e do poder das palavras de Cristo.

========Neste momento os padrinhos acendem a vela que está em sua mão na vela que está na mesa.

A vela representa a luz espiritual, pois como disse Jesus aos seus discípulos quando os mandou pregar: “Vós sois a luz do mundo... Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras" (Mt 5,14-16), e para que todos nós possamos ascender nossa própria luz.

Vocês, como filhos de Deus, portadores da Centelha divina Façam com que esse batismo possa levar a todos a Responsabilidade de indicar a luz a um espírito e que suas obras sirvam de bom exemplo por onde você passar. Assim, como a vela tende a difundir em torno de si a sua luz e o seu calor, também você, umbandistas, cristãos, pelo batismo, deve difundir em torno de si o Reino de Deus.

COMPROMISSO DOS PAIS E PADRINHOS FRENTE À UMBANDA

Nós, Pais e Padrinhos e Comunidade, nos comprometemos a estarmos juntos de vocês, em todos os momentos, de sucesso e dificuldades em sua vida, pois é nossa responsabilidade primar pela sua evolução é de fazer com que você caminhe sempre na direção de Deus, no sentido de seu crescimento espiritual. Para isso, devemos fazer prevalecer entre nós e você o amor e o respeito, dando-lhe a certeza de que sempre nos terá a seu lado, orientando-o e apoiando-o em sua caminhada, pois este é um compromisso que, vindo de vidas anteriores, se manterá em nossas vidas futuras, e este compromisso se estenda por toda esta comunidade da Casa Branca de Oxalá.

Sacerdote- QUEREMOS DESTACAR QUE A UMBANDA RECONHECE A SUA PRESENÇA NO MUNDO, ONDE VOCÊ ESTÁ PARA UM CAMINHO DE PAZ E UM TRABALHO DE HARMONIZAÇÃO A FAVOR DOS SERES HUMANOS COM QUEM VOCÊ CONVIVE E CONVIVERÁ

QUE A INSPIRAÇÃO DIVINA ESTEJA SEMPRE EM SUA MENTE E QUE AS BENÇÃOS DE OLORUM, OXALÁ, TODOS OS ORIXÁS E TODAS AS ALMAS QUE TANTO NOS AMPARAM E AJUDAM O AUXILIEM EM SUA SUBLIME MISSÃO.

Aqui termina o ritual com cânticos de elevação umbandista.

REFLETIU...

QUANDO EU VIM NA UMBANDA...

LÁ NO CÉU UMA LUZ BRILHOU......