quinta-feira, 27 de maio de 2010

REPASSANDO...

Se vivemos constantemente apontando as escabrosidades do mundo, sem procurar compreendê-las, estaremos nos associando mentalmente aos acontecimentos infelizes e, amanhã, poderemos nos tornar suas vítimas.

Nós somos o que pensamos e irradiamos à nossa volta exatamente o que sentimos. Todos os que se aproximam de nós são envolvidos por essa energia que emana dos nossos sentimentos e, com certeza, através dela, atrairemos para o nosso convívio todos aqueles cujos pensamentos se associam aos nossos, ou seja, os nossos afins, os que pensam e sentem como nós. Então eu direi: "Diga-me o que pensas e sentes e eu te direi com quem andas!"

Aprimorar nossas atitudes, nossos pensamentos e sentimentos, é uma maneira inteligente e de certa forma científica de nos libertarmos do ciclo vicioso do sofrimento. Felizes são aqueles que já acordaram e estão em luta constante em busca desse aprimoramento! Estes já estão a caminho da verdadeira felicidade. Ao passo que, aqueles que ainda se vinculam ao sentimento de mágoa e de ódio, caminham para sofrimentos e provações morais que, mais tarde, refletir-se-ão no corpo físico, provocando sérios danos à saúde.

Mesmo quando somos caluniados e feridos injustamente, é de bom alvitre optarmos pelo perdão. Entretanto, perdoar não significa conviver ou acarinhar aqueles que se fizeram nossos adversários; é uma postura íntima que devemos assumir compreendendo a ignorância daqueles que ainda não alcançaram o grau da nossa compreensão. É como perdoar as crianças pelas suas traquinagens próprias da infância.

Encontraremos forças para assumir essa atitude na sábia rogativa do Mestre Jesus, proferida nos momentos finais do seu sacrifício: "Pai, perdoai-os; eles não sabem o que fazem'.

Realmente, aqueles que tomam atitudes contrárias à felicidade de alguém, por inveja ou por ciúmes, ou por qualquer outro motivo, é vítima da própria ignorância; não sabem que, com esse comportamento, semeiam a própria infelicidade. Só se tornarão suas vítimas, aqueles que vibram na mesma faixa de ignorância.



"Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos."

Aqueles a quem chamamos de inimigos são nossos irmãos que, ao longo da nossa vida, surgem a conta de professores impondo-nos lições difíceis, porém necessárias ao nosso aprimoramento espiritual. É dessa forma que devemos compreendê-los e amá-los, como nos recomenda Jesus...



Do Livro "Perdão - O Caminho da Felicidade!", de Nelson Moraes.

terça-feira, 4 de maio de 2010

PAI ANTÔNIO

CONVITE

A Casa Branca de Oxalá tem a alegria de convidar, seus filhos,fiéis e amigos para a comemoração da do dia 13 de maio, dia do Preto Velho.A homenagem será na 4º FEIRA DIA 12 ÀS 20:00.
SARAVÁ OS PRETOS E PRETAS VELHAS

AS SETE LÁGRIMAS DO PRETO VELHO
W.W. DA MATTA E SILVA


Num cantinho de um terreiro, sentado num banquinho, pitando o seu cachimbo, um triste velho chorava.
Dos olhos molhados de seu médium, grossas lágrimas desciam-lhe pela face e não sei porque as contei... eram sete.

Na incontida vontade de saber, aproximei-me e o interroguei: "Fala meu Preto Velho, diz ao teu filho porque externas assim tão visível dor ?"
E ele suavemente respondeu:
Estais vendo esta multidão que entra e sai ? As lágrima que contastes estão distribuídas a cada um que fazem parte dela

A PRIMEIRA, eu dei estes indiferentes que aqui vem em busca de distração para saírem ironizando aquilo que suas mentes ofuscadas não podem conceber ou entender...

A SEGUNDA, a estes eternos duvidosos que acreditam desacreditando, na expectativa de um milagre que os façam alcançar aquilo que seus próprios merecimentos negam...

A TERCEIRA, distribuí aos maus, aqueles que somente procuram a Umbanda em busca de vingança, desejando prejudicar os seus semelhantes...

A QUARTA, dei aos frios e calculistas que sabem que existe uma força espiritual e procuram beneficiarem dela de qualquer forma e não conhece a palavra gratidão...

A QUINTA, chega suave... tem o riso, o elogio da flor dos lábios, mas se olharem bem o semblante para quem ela é dirigida, verão escrito: Creio na Umbanda, no teu Zambi, nos teus Caboclos e Pretos Velhos mas somente se resolverem meu caso, me curarem disto ou daquilo...

A SEXTA, eu dei aos fúteis que vão de Centro em Centro, acreditando em nada, buscando aconchegos e conchavos e seus olhos revelam um só interesse deferente...

A SÉTIMA, filho, notas como foi grande e deslizou pesada ? Foi a última lágrima; aquela que vive nos olhos de todos os Orixás.
Fiz doação desta aos Médiuns vaidosos que só aparecem no Centro em dias de festa e faltam aos trabalhos de CARIDADE e DESENVOLVIMENTO.
Esquecem que existem tantos irmãos precisando de CARIDADE e tantas crianças precisando de amparo MATERIAL e ESPIRITUAL. Esquecem que, ajudados foram, agora é hora de ajudar.
Assim, filho meu, para estes todos é que vistes deslizar uma a uma, AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO VELHO.
Então com minha alma em pranto, tornei a perguntar:
"Não tens mais nada a me dizer, meu PRETO VELHO ?"
Vi um clarão em seu rosto e ele me respondeu:
"Mando a luz da minha transfiguração para aqueles que esquecidos pensam que estão... Mas eles formam a maior dessas multidões.
São os humildes, os simples, estão na UMBANDA pela UMBANDA, na confiança pela razão. São meus filhos de fé.
São "aparelhos" trabalhadores, silenciosos, cujas ferramentas se chamam DOM e FÉ, e cujos "salários" de cada noite são pagos quase sempre com uma só moeda, que traduz o seu valor numa única Palavra...INGRATIDÃO."