quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Boiadeiros

Repassando...
Por Rodrigo Queiroz
Ditado por Sr. José Anízio

"Sou desse chão onde o rei é peão
Com o laço na mão laça, fere,marca..."
– Rei do Gado -
Em nossa última passagem pela Terra fomos filhos da terra, aqueles que dela viveram, dela extraímos a raiz de cada dia, o alimento da família e a esperança.
Montado no lombo de um cavalo ou boi pastávamos não os animais, mas ao som do berrante era possível berrar ao Pai Criador que olhasse por nós.
Eu fui peão, cuidei de muitas fazendas e deixei muitos fazendeiros ricos, estranhamente não respingava no meu bolso a pataca que no deles enchia. Tampouco me queixava disso, afinal, não saberia viver com luxo, gostava mesmo da rede amarrada no batente da simples varanda, ali eu podia descansar meus ossos.
Pra que se tenha mais entendimento, nós somos os verdadeiros sertanejos, aqueles que vivem na ferida do Brasil, é uma chaga que não se fecha e com o andar da carruagem periga que esta chaga tome o corpo todo desta terra varonil.
Não vou ficar a falar de minha pessoa e nem desta realidade brasileira, vou logo palestrar sobre nós como amigos trabalhadores do mundo invisível.
Parece que a linha dos boiadeiros é nova, mas não é não. Já manifestávamos em terreiros, tendas e barracões de muitas variantes do culto afro. No Catimbó é mais notável nossa presença.
Quando começou o movimento Umbanda no Astral é que nos organizamos e aguardamos a oportunidade de aparição dos terreiros deste culto. Assim foi ocorrendo de forma regional até que nos alastramos por todos terreiros de Umbanda.
Mas engana-se aquele que hoje pensa que esta linha de trabalho é composta por homens e mulheres da terra. Nem todos, aqui tem uma mistura grande.
Também tem o machista que prega não existir mulher na linha boiadeiros, então o que faríamos com as amazonas? Ou tantas "Marias Bonitas" que guerrilharam por uma vida melhor???
Outro tanto de companheiros nesta linha são Ex-Exus, ou seja, espíritos que atuaram no Grau Exu, lá nas esferas mais baixas e que após receber a graça de se graduar na luz tem que passar por uma linha transitória. Eis a chave do nosso "mistério". Boiadeiro enquanto Grau é um Grau de transição para espíritos que aguardam seu alocamento mais definitivo.
Neste período vamos trabalhando na Lei, colocando ordem na fronteira do meio fio entre luz e trevas, já esta tênue linha existe dentro de cada um de nós, logo a oportunidade de trabalhar a ordem na fronteira, nos nossos semelhantes encarnados e desencarnados é a forma que o Criador achou para que nós pudéssemos fortalecer a ordem dentro de nós mesmo.
Com nosso laço, visto pelos clarividentes, este serve para buscar os zombeteiros e perturbadores. Nossa corda é infinitamente "elástica" e de onde estivermos se localizarmos um ponto negativo e um perturbador, dali lançamos o laço e no laço quebramos o mal.
Somos comumente chamados nos terreiros para limpeza pesada, pois somos mesmo aquele que retira a carga pesada, quando batemos nosso pé e gritamos nosso boi, não sobra mal algum em nosso redor.
Por fim nosso arquétipo é o sertanejo, o brasileiro do sertão, quer seja o guerrilheiro lampião ou o tocador de gado. No entanto nem todos foram assim.
Vou tocando meu gado por aqui e desejo que o Criador lhe ilumine!

Getuá Boiadeiros!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

HOMENAGEM A XANGÔ

A CASA BRANCA DE OXALÁ,SEUS FILHOS E AMIGOS,TEM A ALEGRIA DE CONVIDÁ-LO(A) PARA A FESTA EM HOMENAGEM A XANDO QUE SE DARÁ EM SUA SEDE PRÓPRIA À RUA SENADOR MODESTINHO GONÇALVES 81,LAGOA SANTA /MINAS GERAIS.
HORÁRIO:20.00 HORAS.

Xangô

XANGÔ: ORIXÁ MASCULINO DE ORIGEM IORUBANA, BASTANTE POPULAR NO BRASIL.
XANGÔ É UM REI, ALGUÉM QUE CUIDA DA ADMINISTRAÇÃO, DO PODER E, PRINCIPALMENTE, DA JUSTIÇA.
HÁ SEMPRE UMA AURA DE SERIEDADE E DE AUTORIDADE QUANDO SE REFERE A XANGÔ; É ÍNTEGRO, INDIVISÍVEL, IRREMOVÍVEL.
O PODER DE XANGÔ, PORÉM, O APROXIMA INESCAPAVELMENTE DE CERTA DUREZA, MAS NÃO É O AUTORITARISMO NEM A REPRESSÃO QUE GARANTEM SEU PODER. O QUE PERMITE QUE XANGÔ SEJA ADMITIDO COMO PODEROSO E OBEDECIDO É SUA CREDIBILIDADE. SUAS DECISÕES DE ÁRBITRO SÃO SEMPRE CONSIDERADAS SÁBIAS, PONDERADAS, HÁBEIS E CORRETAS. ELE É O ORIXÁ QUE DECIDE SOBRE O BEM E O MAL. SUA RETIDÃO E HONESTIDADE SÃO QUASE INQUEBRÁVEIS.
XANGÔ É O ORIXÁ DO RAIO E DO TROVÃO. É IDENTIFICADO, NO MUNDO MATERIAL, COM A FIRMEZA DE UMA ROCHA. É, COMO A PEDRA, DURO E ESTÁVEL. SEU AXÉ (FORÇA), ESTA CONCENTRADO NAS FORMAÇÕES DE ROCHA CRISTALINAS, NOS TERRENOS ROCHOSOS À FLOR DA TERRA, NAS PEDREIRAS, NOS MACIÇOS.
É A ENERGIA DA JUSTIÇA , DA SABEDORIA, DO PENSAMENTO PARA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS, NÃO É IMPULSO, É ENERGIA DO EQUILÍBRIO E DA PRUDÊNCIA.
XANGÔ, ORIXÁ REI DO OYÓ (CIDADE - ESTADO DA ÁFRICA), SENHOR DA JUSTIÇA, DOS RAIOS E TROVÕES, COM O SEU MACHADO DEFENDE SEUS FILHOS DE PERIGOS, SUA MORADA É NO ALTO DA PEDREIRA, ONDE TEM SEMPRE CACHOEIRA DE ÁGUA CLARA COMO A SUA LEI. SEJA CORRETO COM ESTE ORIXÁ E JAMAIS UMA PEDRA ROLARÁ SOBRE VOCÊ.

COR A SER MENTALIZADA: MARROM

O QUE MENTALIZAR: UMA GRANDE MONTANHA... MUITO FORTE...UMA ROCHA...
E PEDIR QUE A FORÇA E GRANDEZA DAS MONTANHAS NOS PENETRE E NOS DÊ MUITA FORÇA.

ELEMENTO: TERRA E FOGO

CÂNTICOS: SÃO FORTES, MÁSCULOS, DETERMINADOS E ENÉRGICOS.
"XANGÔ MEU PAI
DEIXA ESTA PEDREIRA AI
A UMBANDA ESTA LHE CHAMANDO
DEIXA ESTA PEDREIRA AÍ"

GUIAS: A GUIA DE XANGÔ Á MARROM. EM NOSSA CASA BRANCA PADRONIZAMOS A GUIA DE CRISTAL NO 8. SÃO FEITAS EM MÚLTIPLO DE 7 DE FORMA A CONTORNAR O PLEXO SOLAR. ESTA GUIA SÓ PODE SER USADA PELOS MÉDIUNS QUE SE AFINAM DE UMA FORMA INCOMUM COM ESTA ENERGIA, APÓS ENTENDIMENTO E CONVERSA COM OS ZELADORES, E DEVE NASCER APÓS A QUINTA OBRIGAÇÃO: ( OS DOIS ORIXÁS ), QUE É DADA PELOS ZELADORES DA CASA E SOB SUA RESPONSABILIDADE.
CARACTERÍSTICAS DE SEUS FILHOS: SÃO DEFINIDOS OS FILHOS DE XANGÔ, PELA CORAGEM, DECISÃO, DETERMINAÇÃO, DESAPEGO AS COISAS MATERIAIS, GOSTAM DE LEITURA. POSSUEM UMA GRANDE LEALDADE PELAS PESSOAS QUE LHES PARECEM VERDADEIRAS E JUSTAS. SÃO CONTRA PRECONCEITOS, DISCRIMINAÇÕES E QUAISQUER MESQUINHARIAS CONTRA SEUS SEMELHANTES. SÃO ELEGANTES E EDUCADOS NO TRATO, E LOGO SE DESTACAM NO GRUPO ONDE VIVEM PELA SUA SERIEDADE E LINGUAGEM FRANCA E CORAJOSA COM QUE DEFENDE SEUS PONTOS DE VISTA.

DIA QUE SE COMEMORA XANGÔ: 30 DE SETEMBRO (DE ACORDO COM O CALENDÁRIO OFICIAL DE UMBANDA).

DIA DA SEMANA: QUARTA FEIRA

A DANÇA DE XANGÔ: FORTES, RITMOS MARCANTES, COM OS BRAÇOS CRUZADOS E PUNHOS FECHADOS BATENDO NO PEITO E DANDO URROS PARA DENTRO.

O QUE PEDIR A ESTE ORIXÁ : JUSTIÇA, SABEDORIA PARA TOMAR DECISÕES BOM SENSO E TRANQÜILIDADE PARA O SEU LAR.




LISTA DE OBRIGAÇÃO PARA A FESTA de XANGO

1-ERVAS QUE SÃO LEVADAS FRESCAS: FOLHA DA COSTA OU FOLHA DA FORTUNA, BICO DE PAPAGAIO, LEVANTE, HORTELÃ, QUEBRA PEDRE, ALFAVACA, GERVÃO

2-FRUTAS QUE SÃO LEVADAS: CAQUI, FRUTA DO CONDE, PINHA, PINHÃO, ABACAXI E FRUTAS ESCAMOSAS, BANANA, PÊSSEGO, AMEIXA BRANCA, MAÇÃ.

3-FLORES QUE SÃO LEVADAS: LÍROS BRANCOS, AMARELOS, LARANJAS, FLORES DE TONALIDADE MARROM, E TODAS AS A FLORES BRANCAS (ROSAS).

4- BEBIDAS: SUMO DAS PROPRÍAS ERVAS OU CERVEJA PRETA


LEMBRANDO QUE NÃO É A QUANTIDADE E SIM A QUALIDADE.
NÃO PODE SER DADO NADA ARTIFICIAL.

RECEITA DO AMALÁ
1-1/2 KILO DE QUIABO FRESCO ( MÉDIO)
1 VIDRO DE AZEIRE DE DENDÊ ( MÉDIO)
1 VIDRO DE MEL DE ABELHAS (MÉDIO)
1 PACOTE DE FARINHA DE MANDIOCA
FLORES EM TONS MARRONS
2 ABACAXIS BONITOS, COM A FLOR EM CIMA.
MODO DE FAZER
1- ACENDER UMA VELA BRANCA PEQUENO LOUVANDO E REZANDO PARA FAZER A COMIDA
2- LAVAR TODO O QUIABO E CORTA-LOS EM PEDACINHOS FINOS.
3- RESERVEM 15 QUIABOS FRESCOS
4-DEPOIS DE CORTADO EM UMA TIGELA MAIOR, AMASSE COM AS MÃOS COM O QUIABO E O MEL, ATÉ VIRAR UMA PAPA.
5- IR COLOCANDO NESTA PAPA UM POUCO DE FARINHS PARA QUE ELA TOME UM POUCO DE CONSSIT\ÊNCIA, MAS SEM DEIXAR QUE ELA FIQUE SECA.
6-DESCASQUE UM ABACAXI E TORÇA PARA QUE SAIA SEU CALDO EM CIMA DA PAPA, SE PRECISAR COLOQUE MAIS FARINHA.
7-COLOCAR O OUTRO ABACAXI NO CENTRO DA COMIDA QUE JÁ DEVERÁ TER SIDO PASSADO PARA UMA VASILHA DE MADEIRA E REGUE DENDÊ EM CIMA.


ATENÇÃO: NÃO PRECISA SER UMA COMIDA SÓ,
TEMOS TAMBÉM:
1-FRUTAS- AS FRUTAS DE QUALQUER QUALIDADE SEÃO SERVIDAS AOS MÉDIUNS A AOS FIÉIS NUMA HOMENAGEM A XANGÔ E CONGRAÇAMENTO ENRTE OS MÉDIUNS

2- COMIDA DE XANGÔ

MATERIAL NECESSÁRIO:
12 QUIABOS, 1 LITRO DE MEL, AZEITE DE DENDÊ, ÁGUA

RABATA DE XANGÔ
MANEIRA DE FAZER:
CORTA-SE O QUIABO EM PEDACINHOS BEM PEQUENOS, DEPOIS TEMPERA-SE COM CEBOLA , CAMARÃO, AZEITE DE DENDÊ, COZINHA-SE BASTANTE E DEPOIS MISTURA-SE COM A RABADA COZIDA EM PEDACINHOS.
- TRÊS RABADAS
- UM QUILO DE QUIABO
- CEBOLA RALADA
- AZEITE DE DENDÊ
- UMA GAMELA

AMALÁ DE XANGÔ
É COMIDA RITUAL DO ORIXÁ XANGÔ. É FEITO COM QUIABO CORTADO, CEBOLA RALADA, PÓ DE CAMARÃO, SAL, AZEITE DE DENDÊ OU AZEITE DOCE, PODE SER FEITO DE VÁRIAS MANEIRAS. É OFERECIDO NUMA GAMELA FORRADA COM MASSA DE ACAÇÁ.

ACAÇÁ
FEITO COM MILHO BRANCO OU MILHO VERMELHO, QUE APÓS FICAR DE MOLHO EM ÁGUA DE UM DIA PARA O OUTRO, DEVE SER MOÍDO NUM MOINHO OU NUM MOEDOR ( DE CARNE) OU BATIDO NO LIQUIDIFICADOR, FORMANDO UMA MASSA QUE DEVERÁ SER COZIDA NUMA PANELA COM ÁGUA, SEM PARAR DE MEXER, ATÉ FICAR NO PONTO.
O PONTO DE COZEDURA PODE SER VISTO QUANDO A MASSA NÃO DISSOLVE SE PINGADA NUM COPO COM ÁGUA. AINDA QUENTE ESSA MASSA DEVE SER EMBRULHADA EM PEQUENAS PORÇÕES, EM FOLHA DE BANANEIRA PREVIAMENTE LIMPA, PASSADA NO FOGO E CORTADA EM TAMANHO IGUAL PARA QUE TODOS FIQUEM DO MESMO TAMANHO.
COLOCA-SE A FOLHA NA PALMA DA MÃO ESQUERDA E COLOCA-SE A MASSA, COM O DEDO POLEGAR DOBRA-SE A PRIMEIRA PONTA DA FOLHA SOBRE A MASSA, DOBRA-SE A OUTRA PONTA CRUZANDO POR CIMA E VIRANDO PARA BAIXO, FAZ O MESMO DO OUTRO LADO.
O FORMATO QUE VAI FICAR É DE UMA PIRÂMIDE RECTANGULAR.

ABARÁ
BOLINHO FEITO COM MASSA DE FEIJÃO-FRADINHO TEMPERADA COM SAL,
CEBOLA E AZEITE-DE-DENDÊ, ALGUMAS VEZES COM CAMARÃO SECO, INTEIRO OU MOÍDO E
MISTURADO À MASSA, QUE É EMBRULHADA EM FOLHA DE BANANEIRA E COZIDA EM VAPOR DE
ÁGUA

AJEBÔ
CORTE OS QUIABOS EM RODELAS BEM FININHAS EM UMA GAMELA, E VÁ BATENDO ELES COMO SE ESTIVESSE AJUNTANDO ELES COM AS MÃOS, ATÉ QUE CRIE UMA LIGA BEM HOMOGÊNEA

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Obrigação de Oxalá

Obrigação de Oxalá

repassando...

escrito por Sandra Pacheco,um gde abraço.


O UMBANDISTA VERDADEIRO E O UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA
por Sandra Pacheco



Dentro dos milhões de terreiros espalhados por esse país e pelo mundo, podemos encontrar casas cheias de “médiuns”, todos, ou quase todos, presentes no dia de sessão, afim de cumprir, por mais uma vez sua missão.

Entretanto, podemos identificar facilmente dois grandes grupos de Umbandistas: O Umbandista Verdadeiro e O Umbandista de fim de semana. Apesar de ser impossível verificar apenas na aparência em qual grupo determinado médium se encontra, as atitudes, os pensamentos, a preparação do adepto deixa claro sua classificação. Essa classificação deve ser feita intimamente por cada um que se diz “Umbandista”, colocando em uma balança seus atos.

Mas, genericamente, podemos defini-los dessa forma:

O UMBANDISTA VERDADEIRO, não deixa de ser umbandista quando os atabaques do terreiro silenciam. Ele continua vivenciando sua religião mesmo fora do templo sagrado. Pois sabe que é aqui fora que se deve por em prática todos os ensinamentos dados pelos guias na sessão.

O UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA, além de reclamar da duração do trabalho, pois é cansativo ficar em pé algumas horas a cada semana, ou a cada quinze dias, deixa de ser umbandista com o término dos trabalhos. Não vê a hora de ir embora e voltar para sua rotina habitual. Quando indagado sobre sua religião, tem vergonha, esconde, mente ser de outra, e não faz questão nenhuma de por em prática aquilo que aprendeu.

O UMBANDISTA VERDADEIRO é aquele que se orgulha de sua religião, não teme assumi-la publicamente, ou ajudar aquele que precisa. É aquele médium interessado, que sempre busca aprender mais, questionar mais, buscando compreender melhor como funciona sua religião e a espiritualidade.

O UMBANDISTA VERDADEIRO tem amor à sua casa religiosa, pois entende que é nesse solo sagrado que seus Orixás e seus guias se manifestam, além de ser uma escola onde desenvolve sua mediunidade e aperfeiçoa sua moral. Busca auxiliá-la em tudo que precisa, tem zelo, tem capricho.

O UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA lembra-se de seu terreiro apenas nos dias de sessões, e não se preocupa se tudo está em ordem, ou se a casa encontra-se em bom estado, pois, apenas quer “ficar” aquelas horas ali e ir embora.

O UMBANDISTA VERDADEIRO conta os dias para que chegue a próxima sessão. Programa sua vida incluindo os dias de trabalho, para que nenhum evento ocorra nesse dia, pois, trata-se de um dia sagrado. E quando chega o dia, o Umbandista verdadeiro desde o momento em que acorda, já está em sintonia com o astral superior, evitando o consumo de bebidas alcoólicas e fumo e fazendo seu banho de descarga, pois sabe que os irmãos espirituais já estão agindo em seu templo e em sua matéria. Precisa estar bem, para socorrer aqueles que lá estarão precisando de auxílio.

O UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA quando nota que naquele fim de semana terá sessão, já faz cara feia e pensa “não acredito, isso de novo! Nem deu para descansar”. Qualquer motivo é motivo para não ir ao terreiro. Se o tempo está frio, chuvoso ou muito quente, não vai. Se “não está afim” arruma qualquer desculpa e não vai. Se espirrar, se pegar uma gripe ou resfriado leve, também não vai. E esquece-se, que muitos irmãos doentes procuram nossas casas em busca de alívio para seus males. Qual seria a lógica de um filho de fé não ir, se seria essa a oportunidade de encontrar sua cura? O Umbandista de fim de semana no dia de sessão age como se fosse mais um dia comum. Cultiva vícios, más palavras, más atitudes e intrigas. Não tem noção de que a espiritualidade já está agindo e que seu comportamento prejudica seriamente seu desenvolvimento.

O UMBANDISTA VERDADEIRO realmente acredita naquilo que professa. Sabe que a espiritualidade está em todos os lugares e tudo que faz, faz com fé e amor, pois tem a certeza que os espíritos estão ali e irão, de alguma forma, auxiliá-lo, mesmo não sendo da maneira que ele esperava. Não se desespera com as provações, com os contratempos, com as peripécias da vida, pois sabe que é nos momentos difíceis que realmente somos lapidados.

O UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA duvida do que professa. Não tem certeza das manifestações. É aquele que acredita que sendo Umbandista, nunca mais terá problema de saúde, que nunca mais terá problemas financeiros. Quando tais problemas aparecem, revolta-se e mais uma vez põe em dúvida sua religião. É aquele que acredita serem as entidades verdadeiros “gênios da lâmpada”, que tudo que ele pedir e quiser, elas terão que dar. Acredita que não haverá mais contratempo e que não passará por provações, pois as “entidades não vão deixar ele sofrer”.

E você meu irmão de fé? Em qual grupo de Umbandista está?

Se está na dos Umbandistas Verdadeiros, parabéns, continua buscando o aperfeiçoamento de sua fé e cumprindo sua missão.

Mas, se você está no grupo dos Umbandistas de fim de semana, é sinal que algo em sua vida está errado. Ainda é tempo de mudar! Aproveite essa oportunidade, pois o Reino de Oxalá é grandioso e iluminado, mas temos que merecer estar lá. Todos podem lá chegar, desde que façam sua “reforma íntima”, mudando a maneira de agir e de pensar, confiando mais naquilo que professa, cultivando as coisas positivas, buscando a elevação e entendendo que a Umbanda é a oportunidade que Deus nos deu para corrigir nossos defeitos, livrar-nos de nossos vícios e alcançar o progresso espiritual.

Ainda há tempo! Avante filhos de fé!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

ESTUDANDO A UMBANDA...3

I. OBJETIVO DA RELIGIÃO
A Umbanda tem como objetivo, através da prática do amor fraterno a todos nossos irmãos em Deus despertar a busca da espiritualidade. Para atingirmos esse objetivo é necessário um permanente estado de religiosidade significando estar atento e em vigilância para que nos mantenhamos ligados aos planos superiores do mundo espiritual. Essa ligação se dá através de nosso compromisso com o Evangelho de Cristo e de sua aplicação no cumprimento de nossas ações no dia a dia. Esse compromisso com o Evangelho de Cristo se dá em nossas ações do dia a dia, não se limitando ao Templo. O amor ao nosso próximo é a caridade em ação. Caridade no seu sentido lato. Não apenas a doação de bens materiais tão confundida com a real caridade pregada por Jesus Cristo. Essa caridade, que passa pela doação material, vai muito além. Ela é a tolerância, é a compreensão, é a disposição de ouvir àquele que necessita falar, é o saber falar com aquele que precisa ouvir, é o alegrar-se pelas vitórias dos irmãos, é não se deixar levar pelo egoísmo, é ser pacífico e apaziguador, enfim é cumprir em todos os momentos aquilo que nos foi ensinado ha mais de 2000 anos. A caridade, na primeira carta de Paulo aos Coríntios é considerada a mais importante de todas as virtudes. A CARIDADE É O AMOR EM AÇÃO.