quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Fita 48 Zélio de Moraes

(Zélio)Porque era descalço e de branco, podia ser rico, mas andava assim

É uma verdade absoluta, aqui não era general nem operário.

(Zélio) A matança de bicho, não se matava bicho não tem tambor não tem coisa nenhuma, essa é a nossa umbanda de humildade, amor e caridade

( ) Agora eu vou dizer ao Sr. uma coisa,eu acredito que isto vá lhe causar uma certa satisfação, causa a mim hoje tanto o tenente Brantes como a esposa, já fizeram a passagem, morreram, ele teve um derrame cerebral violento e ficou emiplégico cerca de uns 10 anos, certo, então ela tomou conta diretamente do terreiro, faziam os dois se revesando lá no direção dos trabalhos, ela tomou conta sozinha da terra, pois bem há uns 2, 3 anos passados ele morreu, ela não viveu mais 1 mês, morreu também, e eu soube em casa, morava eu e o Irajá e eu disse a Luci, digo a minha babá morreu. Mas como você sabá? Eu digo não sei, morreu e morreu mesmo, 2 dias depois eu recebi a confirmação, ele tinha morrido exatamente no dia em que eu tinha tido o aviso, agora antes do falecimento do Brantes, ele formou uma quantidade de médiuns que eu não tenho idéia de quantos, e desse terreiro, saíram em Belém eu sei lá uns 15, eu conto seguramente nos dedos uns 15 médiuns que saíram de lá com missão específica de abrir outros trabalhos. E tem mais outra coisa, não tínhamos lá na época, era major do exército, João Francisco Vitória da Silva, um gaúcho, ele era major e estava na ativa na ocasião, meu vizinho, ele se entusiasmou e foi comigo ao centre uma ocasião, e ele se entusiasmou de tal forma que entrou na umbanda, e ele cambonava e fazia aquilo tudo.
Uma ocasião chegou a Belém um médico militar para assumir a direção do hospital de Belém, Dr. ..........................é o nome dele, e o Vitória, quase que a força, vamos lá. E ele disse vamos, disse que ia mais para fazer a vontade do Vitória, ai ele foi assistir. Nós tínhamos ali o atendimento de umas 1200, 1500 pessoas a cada 2ª e 6ª feira, a coisa enchia, mas era gente mesmo, e ele ficou assistindo os trabalhos até o fim, este médico recém chegado em Belém não acreditava, não conhecia, quando os trabalhos estavam encerrando, tinham ainda uns 2 médiuns trabalhando incorporado, ele virou-se pra ele e disse: Tu queres tomar um passe? Ele disse assim:
Tomo.
Escolhe um médium
Tinha incorporado no terreiro uma senhora de nome Isabel, amassadeira de açaí, analfabeta.
E ele disse:
Aquela que tem as mãos pretas.
Porque o amassar o açaí,deixa a mão das pessoas com aquela nódoa roxa.
Ele disse: Com aquela da mão preta.
Ele foi e começou a tomar o passe e começou a fazer perguntas ao caboclo, se escuta caboclo, tu cuidas de doença da matéria?
Ele disse cuido.
Disse ele: qual é o remédio que tu dás?
Ele, ervas.
Mas então ele disse: eu curo com ervas, chás.
Ele disse: E com remédio da farmácia, tu não usas?
Ele disse: Não, não gosto de usar remédio de farmácia, e por ai foi se desenvolvendo uma conversa com ele, entre chés, entre o médico e o caboclo, quando foi a tantas o caboclo disse:
Escuta meu filho, o Sr. é mediqueiro?
Ele disse: sou
Então espera ai que o caboclo vai mudar de roupa e já volta pra falar contigo.
Abaixou, foi lá, sacudiu, sacudiu, levantou, disse: Agora vamos conversar meu irmão, porque quando eu fui vivo e fui médico como tu, e deu um show para este homem, o Sr. sabe qual foi o resultado disto?
Este homem abriu terreiro em Belém, reformou-se ficou em Belém tem um enorme terreiro na rua Castelo Branco, casou com a médium, ele era solteirão, ela já morreu, a Raimunda, ele continua com o terreiro aberto, por causa de um diálogo deste com o caboclo, na ocasião.

(Zélio) Como é aquela, que é médium nosso lá no Pará, no Pará, o pai dela é médium, é aquele que nós chamamos, como é?
Nair, Meireles, Dr. Meireles do Pará.

( ) Não sabe o 1º nome dele não?

(Zélio) Me parece que era José, médico lá.

( ) Eu devo conhecer, assim de nome eu não me lembro, no momento.

(Zélio) Daqui que veio do Pará pra lá. Nair Meireles do Pará, Nair Meireles, Independência, bairro

( ) É, Av. Independência,

(Zélio) Eles se comunicam comigo, mas eu não gosto de aparecer, sabe como é? Não gosto, porque eu já disse que há na minha vida um passagem que não é pra qualquer médium ..., apanhei um pobre na rua, passando fome, só vinha me pedir dinheiro, um dia levei ele para minha casa, botei no fundo da casa, com a perna inchada, tinha beribéri e tal - cortei o cabelo dele, tinha muito piolho, estava preso a muito tempo, ...................... preso na ilha grande, esse homem depois de ver a Tenda, logo que ................ deixou, foi a casa dele e disse: meu filho mas ele é rico, rico, o velho tem uma fazenda lá no, depois de Siqueira Campos, distante da estrada, talvez uns 8 ou 9 Km: Mas lá tem carvão de pedra.
Carvão? Não
Tá.
Por causa deste homem que eu levei pra casa, fiz uma companhia de carvão que está, ganhei agora a questão, desde o tempo de Getúlio Heim, agora ganhei, porque os fiscais que ele botaram em redor da minha mina que eu comprei 19 Km, alqueires quadrados e opção para comprar em redor, foram nomeados 2 fiscais, e este fiscais compraram, quando eu comecei tinha carvão, porque eu botei lá uma fortuna. Não é? Formei uma companhia, Dr. ..................... Pereira Costa, Diretor da Escola Politécnica de Curitiba.
General Alfredo Marialves esta vivo ai posso dizer, é meu sócio, no Rio, não sei onde é que mora, em Copacabana, enfim, formei uma companhia, fui pra lá e fiz, descobri a mina, e lá ....................., depois de 5 dias de viagem com minha mulher e os médiuns que eu levava comigo de confiança, manifestar, concentrar no Orixá.
Ele disse: não, não é aqui é lá.
Subimos o morro e ele disse:
Cava ai, vamos cavar, a 1 metro e 20 está a crosta de carvão e hoje é uma grande companhia, carvão sul, carvão de coque, foi buscado por mim e os protetores, porque não é qualquer médium que faz isto, não é qualquer médium que faz isto, não é verdade?
E o que eu gastei, perdi casas, por isto eu estou dizendo, hoje todo mundo é médium, e todo mundo, o que piora nos médiuns é a vaidade, o caboclo é o mais humilde dos espíritos que baixa planeta terra. Humildade, amor e caridade, de branco, descalço e assim, mas hoje pra ter um terreiro precisa vestir de encarnado, de verde, de amarelo.

( )Não é só isso Sr Zélio, o que está acontecendo também aqui no Rio de Janeiro, olha que eu vim transferido do Pará pata cá em 1964, eu levei tais anos procurando um terreiro pra eu ir trabalhar, tais anos, todo terreiro que eu ia, eu olhava, quando não me cobravam tinham atabaque, tinha uma série de coisas que eu nunca, aquilo me fazia mal inclusive, não estou habituado a isto então eu não aceitava, e não aceitava, quando foi um dia então, por acidente, porque foi acidental nós descobrirmos a TULEF, a casa de D. Lilian e depois eu fui me penitenciar com ela, fui pedir desculpa porque eu fui lá fazer mais um testa dentro de não sei quantos que eu já tinha feito, 1ª coincidência, quando eu cheguei lá encontrei uma senhora, funcionaria do mesmo prédio que eu trabalho cambonando a tia Maria era a Jô, que trabalhava domingo na Petrobrás, eu quando vi a Jô digo bom, pessoa conhecida pelo menos já tem, ai chamei, digo, quem é o guia chefe do terreiro”
Ele disse: Sr. Mata Virgem.
Seu Mata Virgem era o guia da Dona Consuelo em Belém.

(Zélio) Mulher do Bentes, eu conheci este Tenente.

( ) Do tenente Bentes. Eu digo, que quero falar com ele.
Fui, falei, e quando eu me apresentei diante do caboclo, a primeira coisa que ele fez foi dizer: Meu filho, a casa e tua, vem pra cá. Eu já tinha observado, já tinha visto o sistema a forma de trabalhar que era a mesma nossa, eu digo bom encontrei o local onde eu tenho que ficar aqui, e estou lá a coisa de que, 3 meses,4 mais ou menos, certo, feliz da minha vida, satisfeito porque lá eu estou encontrando o campo que eu procurava e não achava, fazia tanto tempo certo? Agora me faltava este diálogo que eu estou tendo com o senhor aqui, porque que nós começamos a conversar, eu e Dona Lilian, eu comecei encontrar tantã afinidade, tantã semelhança, inclusive até na forma de abrir os trabalhos, o ponto do caboclo das 7 encruzilhadas, eu digo não, isto tem que ter a mesma origem, tranqüila, até que ela me falou do senhor, e eu ficava, tava maluco pra vir aqui pra conhecer, ter este prazer que estou tendo agora e saber da origem que é a mesma, eu agora não tenho mais duvida nenhuma.

(Zélio) Se eu não cortasse a carreira, porque quando eu sai bacharel, fui para a escola naval, hoje eu seria almirante, os meus colegas, o Dolomaia e outros que foram meus colegas, hoje são almirantes e eu ..........................não sou nada.

( ) Eu também andei por lá, eu servi a marinha também, só que tem que eu fiquei como marinheiro 6 anos.

(Zélio) Ah é, então conheceu .........................................................conheceu Coelho?

( ) Coelho, não lembra o 1º nome não?

(Zélio) Eu tenho agora um sobrinho que é professor de matemática na escola naval, é meu sobrinho, é contra almirante, é professor de matemática na escola naval. Era a carreira que eu ia seguir, mas .....................................eu estava contando, porque o meu tio avô era um cônego lá, quando eu me manifestei na escola, comecei ter umas coisas que ninguém sabia o que era, muito médico na família, começaram a dizer que eu estava maluco, como até hoje, meus parentes, eu tenho muitos parentes....

( ) Uma outra coisa que o senhor falou a pouco, sobre cura de obssedados. O Brantes, ele destacava semanalmente um grupo de médiuns, grupos de médiuns que se revesavam nas visitas às casas de saúde notadamente hospícios de alienados. Quanta gente saiu deste hospício de alienado pra casa de umbanda e saiu de lá curado.

(Zélio) Eu ia, tava ...................... esse não tem cura. Um dia foram buscar o caboclo em casa, nós íamos trabalhar com aqueles nomes, e curávamos.

( ) A coisa atingiu tal ponto que o diretor do hospital dos alienados, Dr Pedro Valinoto que ainda está lá até hoje se identificou de tal modo com o pessoal do terreiro que quando o sujeito chegava lá internado ele dizia: Isso aqui não é pra mim, manda pra casa do Brantes, ele já conhecia e mandava pra lá mesmo, ele mandava no carro do hospital e entregava, e o cara ia pra lá, se curava mesmo, a coisa dos obssessores. Agora nós procurávamos os hospitais, porque outra coisa que eu observei no Rio. não vai nisto crítica pejorativa destrutiva porque a idéia, a minha pelo menos é construir alguma coisa tanto quanto puder, é que se abrem as giras, e agente tem aquele atendimento a cada dia da semana, 2, 3 dias da semana, pros guias ouvirem a mesma coisa, das mesmas pessoas, é a briga do vizinho, é o marido que fugiu, é a mulher que saiu de casa, é o outro que está precisando encontrar apartamento e não encontra, o sujeito quer que o caboclo e o preto velho ajude o sujeito a achar uma casa pra alugar, então é isto, a tônica da grande maioria dos atendimentos é este, então eu acredito que algumas coisas devesse ser feitas em 2 sentidos:
O 1º, uma reformulação disto, vamos sair de dentro de casa, vamos fazer como está apregoando agora a nossa Babá .........................................é chamado ....................................da umbanda, ainda não tive o prazer de acompanhá-la em nenhum destes passeios dela, eu apenas ouço pelo rádio, mas eu entendo que nós devíamos procurar ir a fonte geradora dos obssedados e dos loucos, de onde nós podemos tirar muita gente pra saúde, pra vida real.

( ) Mas independente disto a umbanda tem que fazer este outro trabalho.
( ) Ah claro, não tem dúvida nenhuma,mas uma coisa independe da outra.

( ) Então pra amenizar o sofrimento então existe sofrimento de toda ordem e em todo o sofrimento ela tem que estar pra amparar.$$$$$$$$$$$

(Zélio) Mas o senhor sabe que o planeta ................................. vai haver grandes coisas né, sabe disso, de modo que ha muitos espiritos .......................... já grandes coisas pra muita gente pedir misericordia a Deus, ajoelhar e pedir misericordia achando que o mundo vai acabar, porque é preciso, por que a maldade o senhor nao eatá ao par da amldade que, eu que estou aqui na roça, eu que estou aqui fico horrorizado, nem posso lhe contar os fatos que vem às minhas maos, engraçado ............................, veio um rapaz aqui trazido por uma ..................... bonitao, nao vou dizer quem era porque voces podem conhecer, sentou na cadeira, botei a mao na perna dele e disse :
Meu filho, eu vou rezar um Pai Nosso para voce, pra te ajudar, pra voce pedir perdao pelas suas faltas, nao vou te rezar. Ele disse: Porque?
Bonitao, barbudo.
Porque?
Desculpe, tem moça ai, voce .................................porque os dois estavam ai, porque voce só de .......................... tem 9, tem dois com filho
Nao, nao, aí ele falou: 9 nao , sao 8. Eu fui e disse assim: Vai com Deus, Deus te perdoe das tuas faltas, que nao aconteça com eles, com a tua familia o que voce fez com os outros. Quer dizer, essa gente, como é que a gente vai pedira Deus por um homem que já produziu isto tudo, e depois ainda diz que nao sao 9 mulheres, sao 8.
Disse que Pai Antonio se enganou, Pai Antonio é um preto velho que trabalha quando .................. com o chefe ....................... como preto velho, foi medico, agora tem uma familia. É longo o negocio, indo agora a Italia com uma pessoa que eu tratei, da familia do Dr. Wagner lá em Copacabana, fui medico da familia durante muitos anos, até a morte dele, tratei de um filho maluco que hoje é engenheiro da prefeitura no Rio, tratei, entao veio uma das filhas que é engenheira quimica, até entao na tenda, ela trabalhou na tenda, e eu peço, venho pedir ao senhor que fez tantos milagres lá em casa, pedir ao senhor me ajudar no casamento que eu caso daqui a 3 meses e tal... Pai Antonio olhou pra ele e disse: Olha minha filha, nao vai haver casamento nao, voce nao vai casar, no fim ela disse: Entao nao vou casar com mais ninguem, nao caso com este nao caso com mais ninguem.
Ele disse: Casa, vai casar com um padre.
Entao ela dizia a todo mundo que ele era um estupido, um besta, nestes termos, mas acabou ela viu o noivo com duas no carnaval e ela saiu de soutens e calças, ele e ela, desmanchou o casamento, entao disse que era praga minha, o pai tinha uma fazenda, riquissimo, ele morreu agora, basta dizer tem 5 filhos, deixou 170 milhoes para cada filho + 94 apartamentos em Copacabana para cada filho, quer dizer, deixou uma fortuna regular, eles tao ai, sao testemunhas, vem aqui em casa.
Entao ela foi pra Campinas , pra uma fazenda dele e o padre, o vigario de Campinas pediu, foi .......... na porta da igreja pediu se podia ir na casa dele, pediu essa moça em casamento, hoje é casado com ela, o vigario e me toma bençao, foi vigario, deixou a batina, pediu licença a igreja, e ela ma toma bençao me beija e acha que sou um santo, de maneiras, familia Wagner, Dr. Wagner, tem o Dr. Wagner que é engenheiro, comecei com o filho e por causa do filho vieramtodas as filhas e essas meninas vamos dizer, na familia tem uma porçao de casos né, de curas, de coisa assim como a dessa moça que ia casarcom o padre que ela disse: Mas com padre, logo com padre , a .........................., que pitava cachimbo, nao sei o que, de maneira que o senhor veja como sao as coisas nao é?
Tudo tem uma razao de ser.

( ) Estamos vivendo no Rio de Janeiro tambem uma especie de Piracema de terreiro, todo camarada que sacode a cabeça acha que já está em condiçoes de abrir um terreiro e sai pra trabalhar fazendo bobagem por ai a fora.

(Zélio) Ninguem sabe a responsabilidade de ser presidente de uma nova tenda
e ter tenda, porque a nossa tenda tem muitos socios, porque nos gatamos só de predio 1 milhao, é preciso ter muito socio, mas este mes minha filha puxou 334 contos pra completar a despesa da tenda, já viu que nao é brincadeira, né? Agora, .......................... porque nao se aceita nada, se o sr. precisar de um ponto de polvora, nos damos a polvora, o Sr. é socio, paga como socio o que ela fez foi .......................................................

De modos que isto tudo é dificil nao é?

Nenhum comentário: