quinta-feira, 28 de agosto de 2008

SESSÃO DE DESCARREGO E SAÚDE A DISTÂNCIA

Todas as mensagens serão encaminhadas para a Sessão DE DESCARREGO E SAÚDE, e colocadas para Irradiação à Distância (Sessão que se realiza nas últimas feiras partir das 20:00 Horas). Através do Nome e Endereço e definir qual a parte da gira ele precisará, se descarrego ou saúde mandaremos uma ficha a parte para aqueles que se manifestarem e quiserem participar . É um trabalho de grande eficiência realizado pelas Entidades-Guias, que assistem à
Mediúnicamente a reunião que é dirigida pelo Pai Antônio de Aruanda.( Não é o Pai Antônio do início da Umbanda e incoporava em Zélio de Moraes.Este não Incorpora mais).os emails podem ser encaminhados para maemaria33@terra.com.br

terça-feira, 26 de agosto de 2008

fotos da Tenda NS da Piedade



Pai solano entre o Caboclo Sete Flexas ( Zélia) e o

Caboclo Branca Lua ( Zilméia)



Cabana vista pelo lado de dentro

Fotos

As fotos abaixo são 1 - Zélia( filha de Zélio de Moraes, já falecida ) e Pai Solano Batendo a Cabeça nos pontos riscados da Tenda.
2-Foto vista do lado de fora da Tenda

fotos da Tenda NS da Piedade







ERVAS DE IEMANJÁ

IEMANJÁ
ERVAS E FINALIDADES NO RITUAL E NA MEDICINA POPULAR
A
Alcaparreira – Galeata: Muito usada nos terreiros do Rio Grande do Sul. Entra nas mais variadas obrigações do ritual, sendo utilizadas para isso folhas e cascas. Também é muito prestigiada nos abô de preparação dos filhos, para obrigação de cabeça e nos banhos de limpeza. As cascas e raízes popularmente vem sendo usadas como diuréticos. Seus frutos são comestíveis e deles é preparada uma geleia eficaz contra picadas de cobras e insetos venenoso.
Altéia – Malvarisco: Muito empregada nos banhos de descarrego e na purificação das pedras dos orixás Nanã, Oxum, Oxumarê, Iansã e Iemanjá. Muito prestigiada nos bochechos e gargarejos, nas inflamações da boca e garganta.
Aracá da Praia: Planta arbórea pertencente a Yemanjá e a Oxóssi. É empregada nas obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de purificação dos filhos dos orixás a que pertence. No uso popular cura hemorragias, usando-se o cozimento. Do mesmo modo também é utilizado para fazer lavagens genitais.
Araticum de Areia – Malolô: Liturgicamente, os bantos a usam nos banhos de descarrego, sem mistura de outra erva. A medicina caseira indica a polpa dos frutos para resolver tumores e o cozimento das folhas no tratamento do reumatismo.
C
Coco de Iri: Sua aplicação se restringe aos banhos de descarrego, empregando-se as folhas. A medicina caseira indica as suas raízes cozidas para por fim aos males do aparelho genital feminino. É usado em banhos semicúpios e lavagens.

E
Erva de Santa Luzia: Muito usada nas obrigações de cabeça, ebori, lavagem de contas, feitura de santo e tiragem de zumbi. De igual maneira, também se emprega nos abô, banhos de descarrego ou limpeza dos filhos dos orixás. A medicina popular a consagrou como um grande remédio, por ser de grande eficácia contra o vício da bebida. O cozimento de suas folhas é empregado contra doenças dos olhos e para desenvolver a vidência.
F
Fruta da Condessa: Tem aplicação nas obrigações de cabeça, nos banhos de descarrego e nos abô. É de grande importância na medicina popular, pois suas raízes em decocto são um grande remédio para a epilepsia. Toma-se meio copo três vezes ao dia. Apesar da irreversibilidade da doença.
G
Graviola – Corosol: Tem plena aplicação nos abô dos orixás, nos banhos de abô e nos de limpeza e descarrego. É indispensável aos filhos recolhidos para obrigações de cabeça beberem uma dose do suco pela manhã. O povo usa a graviola nos casos de diabete, aplicando o chá.
Guabiraba Anis: Aplicada em todas as obrigações de cabeça, nos abô de uso geral e nos banhos de purificação e limpeza dos filhos dos orixás. Utilizadas do mesmo modo nos abô de ori. A medicina popular a utiliza para pôr fim nas doenças dos olhos (conjuntivites). Banhos demorados favorecem aos sofredores de reumatismo.
J
Jequitibá Rosa: Sem uso ritualístico. Para a medicina caseira ele é um poderoso adstringente. Milagroso no tratamento das leucorréias (corrimento); o cozimento das cascas é eficaz nas hemorragias internas, cura angina e inflamações das amígdalas.

M
Maçã de Cobra: Usada nas obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de descarrego e limpeza. Não possui uso na medicina popular.
Musgo marinho: Esta planta vive submersa nas águas do mar. É planta que entra nas obrigações de ori e nos banhos de limpeza dos filhos de Yemanjá. Os musgos são utilizados pela medicina caseira nas perturbações das vias respiratórias.
P
Pata de vaca : empregada nos banhos de descarrego e nos abô, para limpeza dos filhos dos orixás a que pertence. A pata de vaca, na medicina popular, é indicada para exterminar diabetes, e por essa razão, é tida como insulina vegetal. Também cura leucorréia em lavagens vaginais.
T
Trapoeraba Azul – Marianinha: Esta planta é aplicada em todas as obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de limpeza e purificação. Também é axé integrante dos assentamentos do orixá a que pertence. No uso popular a erva é utilizada contra os efeitos de picadas de cobras. É também diurética e age contra o reumatismo. Os filhos da deusa das águas salgadas banham-se periodicamente com esse tipo de vegetal.
U
Unha de Vaca: Aplicada em banhos de descarrego dos filhos da deusa. Na medicina caseira é utilizado como adstringente. Aplicado em lavagens locais e banhos semicúpios para combater males ou doenças do aparelho genital feminino.

domingo, 24 de agosto de 2008

ERVAS DE OXUMARÊ



ESTA É UMA DAS OFERENDAS PARA OXUMARÊ

ERVAS DE OXUMARÊ

OXUMARÉ
ERVAS E FINALIDADES NO RITUAL E NA MEDICINA POPULAR
A
Alcaparreira – Galeata: Entra em várias obrigações do ritual, utilizando-se folhas e cascas verdes. Muito prestigiada nos abô de preparação dos filhos para obrigação de cabeça e nos banhos de limpeza. A medicina caseira indica como diurética, usadas as cascas da raiz. Os frutos são comestíveis e deles se prepara uma geleia que é eficaz contra picadas de cobras ou insetos venenosos, em razão do princípio ativo: rutinã.
Altéia – Malva Risco: Muito empregada nos banhos de descarrego e na purificação das pedras dos orixás Nanã. Oxum, Oxumarê, Iansã e Iemanjá. Muito prestigiada nos bochechos e gargarejos, nas inflamações da boca e garganta.
Angelicó – Mil-homens: Tem grande aplicação na magia de amor, em banhos de mistura com manacá (folhas e flores), para propiciar ligações amorosas, aproximando os sexo masculino. A medicina caseira aplica-o como estomacal, combatendo a dispepsia. As gestantes não devem usar.
Araticum de Areia – Malolô: Liturgicamente, os bantos a usam nos banhos de descarrego, sem mistura de outra erva. A medicina caseira indica a polpa e os frutos para resolver tumores e cozimento das folhas no tratamento do reumatismo.
C
Cavalinha – Milho de Cobra: Aplicada nas obrigações de cabeça, nos abô e como axé nos assentamentos dos dois orixás. Não possui uso na medicina popular.


G
Graviola – Corosol: Tem plena aplicação nos abô dos orixás, nos banhos de abô e nos de limpeza e descarrego. É indispensável aos filhos recolhidos para obrigações de cabeça beberem uma dose de suco pela manhã. O povo usa a graviola de diabetes, aplicando o chá.
I
Ingá Bravo: “Não conhecemos aplicação ritualística. O povo a consagra como sério adstringente e, por isso, indica o uso das casacas, em cozimento, na cura das úlceras e feridas rebeldes, banhando-as.
L
Língua-de-vaca – Erva de Sangue: Planta empregada nas obrigações principais, nos abô e nos banhos de purificação dos filhos do orixá. É axé para assentamentos do mesmo orixá. O uso caseiro é nas doenças de pele, nas sifilíticas e nos resfriamento.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

ERVAS DE OXUM

OXUM
ERVAS E FINALIDADES NO RITUAL E NA MEDICINA POPULAR
A
Abiu Abieiro: Sem uso na liturgia, tem folhas curativas; a parte inferior destas, colocadas nas feridas, ajudam a superar; se inverter a posição da folhas, a cura será apressada. A casca da árvore cozida tem efeito cicatrizante.
Agrião do Pará – Jambuaçu: É usado nas obrigações de cabeça e nos abô, para purificação de filhos; como axé nos assentamentos da deusa de água doce. A medicina caseira usa-o para combater tosses e corrigir escorbuto (carência de vitamina C). É, também, excitante.
Alfavaca de Cobra: É usada em todas as obrigações de cabeça. No abô também é usada, o filho dorme com a cabeça coberta. Antes das doze horas do dia seguinte o emplastro é retirado, e torna-se um banho de purificação. A medicina caseira a indica como combatente ao mau-hálito.
Arapoca Branca: Suas folhas são utilizadas nas obrigações de cabeça e nos abô; no Candomblé são usadas em sacudimentos pessoais. As casacas desta servem para matar peixes. A medicina caseira utiliza as folhas como antitérmico, contra febres. Age também como excitante.
Arnica Montana: Tem pouca aplicação na Umbanda e no Candomblé. Já na medicina popular é muito usada, após alguns dias de infusão no otin (cachaça). Age como cicatrizante, recompondo o tecido lesado nas escoriações.
Azedinha - Treco Azedo – Três corações: É popularmente conhecida como três corações, sem função ritualística, é apenas empregada na medicina popular como: combatente da disenteria, eliminador de gases e febrífugo.


B
Bananeira: Muito empregada na culinária dos Orixás. Suas folhas forram o casco da tartaruga, para arriar-se o ocaséo a Oxum. A medicina caseira prepara de sua seiva um xarope de grande eficácia nos males das vias respiratórias ou doenças do peito.
Brio de Estudante – Barbas de Baratas: Desta erva apenas a raiz é utilizada. Ela fornece um bom corante que é usado nas pinturas das yawo, de mistura com pemba raspada. A medicina popular utiliza o chá, meia hora antes de dormir, para ter sono tranqüilo.
C
Caferana Alumã: São utilizadas nas aplicações de cabeça e nos abô. Usado na medicina popular como: laxante, fazendo uma limpeza geral no estômago e intestinos, sem causar danos; é ótima combatentes; poderoso vermífugo e energético tônico.
Camará Cambará: Utilizada em quaisquer obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de purificação. A medicina caseira a emprega muito em xarope, contra a tosse e rouquidão e ainda põe fim às afecções catarrais.
Camomila Marcela: Tem restrita aplicação nas obrigações litúrgicas. Entretanto, é usada nos banhos de descarrego e nos abô. No uso popular é de grande finalidade em lavagens intestinais das crianças, contra cólicas e regularizadora das funções dos intestinos. O chá das flores é tônico e estimulante, combate as dispepsias e estimula o apetite.
Cana Fístila – Chuva de Ouro: Aplicada nos abô e nas obrigações de cabeça, usada também nos banhos de descarrego dos filhos de Oxum. Seu uso popular é contra os males dos rins, areias e ardores. O sumo das folhas misturado com clara de ovo e sal mata impigens.
Chamana Nove Horas – Manjericona: Usada em obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de purificação dos filhos de Oxum. O povo a utiliza em disenterias.
Cipó Chumbo: Sem uso na liturgia, porém muito prestigiada na medicina popular, como xarope debela tosses e bronquites; seu chá é muito eficaz no combate a diarréias sanguinolentas e à icterícia; seco e reduzido a pó, cicatriza feridas rebeldes.
E
Erva Cidreira – Melissa: Sem uso na liturgia, sua aplicação se restringe ao âmbito da medicina caseira, que a usa como excitante e antiespasmódico, enérgico tônico do sistema nervoso. O chá feito das folhas adocicado ou puro combate as agitações nervosas, histerismos e insônia.
Erva de Santa Maria: São empregadas em obrigações de cabeça e em banhos de descarrego. Como remédio caseiro é utilizada para combater lombrigas (ascárides) das crianças, também é ótimo remédio para os brônquios.
Ervilha de Angola – Guando: É empregada em quaisquer obrigações. O povo usa as pontas dos ramos contra hemorragias e as flores contra as moléstias dos brônquios e pulmões.
F
Fava Pichuri: No ritual da Umbanda e do Candomblé, usa-se a fava reduzida a pó, o defumações que trazem bons fluidos e afugenta Eguns. O povo usa o pó na preparação de chá, que é eficaz nas dispepsias e diarréias.
Flamboiant: Não é utilizado em obrigações de cabeça, sendo usado somente em algumas casas, em banhos de purificação dos filhos dos orixás. Porém suas flores tem vasto uso, como ornamento, enfeite de obrigação ou de mesas em que estejam arriadas as obrigações. Sem uso na medicina comercial.
G
Gengibre Zingiber: São aplicados os rizomas, a raiz, que se adiciona ao aluá e a outras bebidas. O povo a usa nos casos de hemorragia de senhoras e contra as perturbações do estômago, em chá.
Gigoga Amarela – Aguapê: Usado nos abô, nos ebori e banhos de limpeza, pois purifica o aura e afugenta ou anula Eguns. A medicina popular manda que as folhas sejam usadas como adstringente e, em gargarejos, fortalecem as cordas vocais.
I
Ipê Amarelo: Aplicada somente em defumações de ambientes. Na medicina popular é usada em gargarejos, contra inflamações da boca, das amígdalas e estomatite. O que vai a cozimento são a casca e a entrecasca.
L
Lúca Árvore da Pureza: Seu pendão floral é usado plena e absolutamente, em obrigações de ori dos filhos de Oxum. Não possui uso na medicina popular.
M
Macaçá: Aplicação litúrgica total, entra em todas as obrigações de ori nos abô e purificação dos filhos dos orixás. O povo a usa para debelar tosses e catarros brônquios; é usada ainda contra gases intestinais.
M
Mãe Boa: É erva sagrada de Oxum. Só é usada nas obrigações ritualísticas, que se restringe aos banhos de limpeza. Muito usada pelo povo contra o reumatismo, em chá ou banho.
Malmequer – Calêndula: É usada em todas as obrigações de ori e nos abô, e nos banhos de purificação dos filhos de Oxum. As flores são excitantes, reguladoras do fluxo menstrual. As folhas são aplicadas em fricções ou fumigações para facilitar a regra feminina.
Malmequer do Campo: Não é aplicada nas obrigações do ritual. Na medicina popular tem função cicatrizante de feridas e úlceras, colocando o sumo de flores e folhas sobre a ferida.
Malmequer Miúdo: Aplicado em quaisquer obrigações de ori, nos abô e nos banhos de limpeza dos filhos que se encontram recolhidos para feitura do santo. Como remédio caseiro, é cicatrizante e excitante.


O
Orriri de Oxum: Entra em todas as obrigações de ori, nos banhos de limpeza. O povo a indica como diurético e estimulador das funções hepáticas.
V
Vassourinha de Botão: Muito usado nos sacudimentos pessoais. Não possui qualquer uso na medicina popular.

Festa de Oxum oxumare e Inhaçã do ano passado




quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Ossanhe ou Ossaim

O PRINCÍPIO CURADOR DA SELVA BRASILEIRA TEM A PRESIDI-LO OSSÃE, O SENHOR DAS ERVAS, CUJO PODER É IMENSO E QUE REALIZA PRODÍGIOS MARAVILHOSOS.
SENDO ELE DETENTOR O SEGREDO MIRACULOSO DAS ERVAS, FOLHAS. RAÍZES E TUDO O MAIS QUE CONSTITUI A BENDITA FLORA, OSSÃE CONHECE E MANIPULA, COMO NINGUÉM, OS SEUS EFEITOS NA CURA DAS DOENÇAS DOS SERES VIVENTES.
AGINDO DE FORMA QUE HARMONIZE O FÍSICO AO ASTRAL E OBTENHA CURA PARA OS MALES QUE ATORMENTAM AS CRIATURAS. OSSÃE É O SER BENIGNO DAS MATAS, QUE CONCENTRA EM SI TODA A SABEDORIA E APLICAÇÃO DA MEDICINA NATURAL.
ASSIM TEMOS AS RAÍZES E FOLHAS - ENQUANTO NAS PRIMEIRAS, EM ALGUNS CASOS, ENCONTRAMOS PROVEITOS DE CURAS DIFERENTES, A SEGUNDA RECEBE, ATRAVÉS DOS RAIOS SOLARES, BENEFÍCIOS ENERGÉTICOS, MATIZANTES E CURADORES, PARA MALES DIVERSOS.
OSSÃE PARTICIPA COM OXOSSI DO MESMO RAIO DE AÇÃO, INTEGRANDO-SE NA NATUREZA TANTO QUANTO SEU ESSE, BUSCANDO CADA UM, SEGUNDO SUA PROPENSÃO, SERVIR À CAUSA DOS QUE A ELES RECORREM.
SE NOS FOSSE FADADO CONVIVER E COMUNGAR COM O ORIXÁ DAS ERVAS, MUITO TERÍAMOS QUE APRENDER E, MAIS AINDA, DISCIPLINAR A NOSSA VIDA, PAUTANDO-A DENTRO DE NORMAS SÃS E DESTA FORMA TRATARÍAMOS NOSSA FLORA NÃO SÓ COMO REMÉDIO, MAS TAMBÉM COMO MEIO DE ADQUIRIR TÉCNICA DE COMPOR UM ELIXIR QUE NOS REVIGORASSE, DANDO-NOS MAIS TEOR DE ESPIRITUALIDADE, FAZENDO-NOS CAPAZES DE OMBREAR COM SERES MAIS ELEVADOS QUE SE ENCONTRAM DIRIGINDO OS SETORES DA NATUREZA DE NOSSA IMENSA FLORESTA.
A RELIGIÃO DE UMBANDA É ECOLÓGICA, PELA PRÓPRIA FORMAÇÃO E COMPORTAMENTO DE SEUS FIÉIS.
OSSÃE NÃO DÁ FILIAÇÃO NA UMBANDA.
SAUDAÇÃO: “EUÊ-Ô ! EUÊ-Ô ! EUÊ-Ô ! “. DO YORUBÁ: EWÊ (FOLHAS) Ó (SUFIXO PARA CUMPRIMENTO: SALVE!): “SALVE, Ó SENHOR DAS ERVAS!”


OS FILHOS DE OSSANHA SÃO CALMOS, INGÊNUOS, PACÍFICOS E GRANDES DEFENSORES DA ECOLOGIA. A PRINCIPAL FUNÇÃO DE OSSANHA É O CONHECIMENTO DO USO MEDICINAL DAS PLANTAS E ERVAS. SUAS COMIDAS PREFERIDAS SÃO O APETÉ FEITO DE BATATA (BOLO DE BATATA), FEIJÃO PRETO, AMENDOIM SEM CASCA, RECEBE TAMBÉM VINHO TINTO E FUMO EM ROLO. DIA DA SEMANA - TERÇA-FEIRA. CORES - VERDE OU VERDE E BRANCO E AINDA VERDE E AMARELO. SÍMBOLO - UM FERRO COM SETE HASTES E UM PÁSSARO NA PONTA. LOCAL DAS OFERENDAS - MATA VIRGEM OU FECHADA.

TAMBÉM CHAMADO DE OSSÃE, OSSAIM OU OSSANHE. CONSIDERADO A DIVINDADE DA MEDICINA, POR GUARDAR CONSIGO OS SEGREDOS MÍSTICOS E CURATIVOS DAS FOLHAS E PLANTAS. PATRONO DOS ALEIJADOS, POIS TEM UMA SÓ PERNA, É REPRESENTADO PORTANDO UMA MULETA, OBJETO QUE LHE É CONSAGRADO.QUANDO ESTE ORIXÁ VEM AO MUNDO, USANDO DA POSSESSÃO DE FILHO, FICA DANÇANDO HORAS NUMA PERNA SÓ, SEM COLOCAR O PÉ NO CHÃO, O MOSTRAM O PODER DO ORIXÁ E A CONFIRMAÇÃO DA POSSESSÃO, POIS NINGUÉM CONSEGUIRIA DANÇAR TANTAS HORAS APOIADO NUMA SÓ PERNA.OSSANHA REPRESENTA A SABEDORIA ANCESTRAL DO HOMEM, QUE PERMITE O DOMÍNIO DA NATUREZA. EM QUASE TODOS OS FETICHES E AXÉS FEITOS PARA A SAÚDE INVOCA-SE O OSSANHÃ, QUE ALÉM DE SER O ORIXÁ DA CURA TAMBÉM É DE ÍNDOLE BONDOSA E JAMAIS DEIXARIA DE ATENDER UM PEDIDO.CARACTERÍSTICAS POSITIVAS: RESERVADOS, ESTUDIOSOS, SINCEROS E OBEDIENTES, DONO DE GRANDE PODER DE PERSUASÃO, OS REGIDOS POR ESTE ORIXÁ, SÃO SENSITIVOS, EQUILIBRADOS E NÃO CONFIAM FACILMENTE NOS OUTROS A FIM DE PRESERVAR SEUS SEGREDOS, POIS SÃO EXTREMAMENTE MISTERIOSOS E NÃO SÃO INFLUENCIÁVEIS. CIENTISTAS NATOS ADORAM CRIAR E DESCOBRIR COISAS NOVAS.CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS: SÃO FEITICEIROS, SÃO TRAIÇOEIROS, MISTERIOSOS, CAPAZES DE QUALQUER MALDADE PARA TER AQUILO QUE QUEREM. NÃO FAZEM MUITOS AMIGOS, NEM SUAS AMIZADES SÃO DURADOURAS, SÃO VOLÚVEIS E RARAMENTE BEM SUCEDIDOS NO AMOR. LENDASCADA DIVINDADE TEM AS SUAS ERVAS E FOLHAS PARTICULARES, DOTADAS DE VIRTUDES, DE ACORDO COM A PERSONALIDADE DO DEUS. LYDIA CABRERA PUBLICOU UMA LENDA INTERESSANTE, SOBRE A REPARTIÇÃO DAS FOLHAS ENTRE AS DIVINDADES:"OSSANHA HAVIA RECEBIDO DE OLODUMARÉ O SEGREDO DAS ERVAS. ESTAS ERAM DE SUA PROPRIEDADE E ELE NÃO AS DAVA A NINGUÉM, ATÉ O DIA E QUE XANGÔ SE QUEIXOU À SUA MULHER, OIÁ-IANSÃ, SENHORA DOS VENTOS, DE QUE SOMENTE OSSANHA CONHECIA O SEGREDO DE CADA UMA DESSAS FOLHAS E QUE OUTROS DEUSES ESTAVAM NO MUNDO SEM POSSUIR NENHUMA PLANTA. OIÁ LEVANTOU SUAS SAIAS E AGITOU-AS IMPETUOSAMENTE. UM VENTO VIOLENTO COMEÇOU A SOPRAR. OSSANHA GUARDAVA O SEGREDO DAS ERVAS NUMA CABAÇA PENDURADA NO GALHO DE ÁRVORE. QUANDO VIU QUE O VENTO HAVIA SOLTADO A CABAÇA E QUE ESTA TINHA SE QUEBRADO AO BATER NO CHÃO, ELE GRITOU: 'EWÉ O! EWÉ O!' ('OH! AS FOLHAS! OH! AS FOLHAS!'), MAS NÃO PÔDE IMPEDIR QUE OS DEUSES AS PEGASSEM E AS REPARTISSEM ENTRE SI".SEGUNDO UMA LENDA RECOLHIDA POR BERNARD MAUPOIL, QUANDO ORUNMILÁ VEIO AO MUNDO, PEDIU UM ESCRAVO PARA LAVRAR SEU CAMPO; COMPROU-LHE UM NO MERCADO; ERA OSSANHA. NA HORA DE COMEÇAR SEU TRABALHO, OSSANHA PERCEBEU QUE IA CORTAR A ERVA QUE CURAVA A FEBRE. E ENTÃO GRITOU: 'IMPOSSÍVEL CORTAR ESTA ERVA, POIS É MUITO ÚTIL.' A SEGUNDA CURAVA DORES DE CABEÇA. RECUSOU-SE TAMBÉM A DESTRUÍ-LA. A TERCEIRA SUPRIMIA CÓLICAS. 'NA VERDADE', DISSE ELE, 'NÃO POSSO ARRANCAR ERVAS TÃO NECESSÁRIAS.' ORUNMILÁ, TOMANDO CONHECIMENTO DA CONDUTA DE SEU ESCRAVO, DEMONSTROU DESEJO DE VER ESSAS ERVAS, QUE ELE SE RECUSAVA A CORTAR E QUE TINHAM GRANDE VALOR, POIS CONTRIBUÍAM PARA MANTER O CORPO EM BOA SAÚDE. DECIDIU, ENTÃO, QUE OSSANHA FICARIA PERTO DELE PARA EXPLICAR-LHE AS VIRTUDES DAS PLANTAS, DAS FOLHAS E DAS ERVAS, MANTENDO-O SEMPRE AO SEU LADO NA HORA DAS CONSULTAS.
ESTE ORIXÁ NÃO POSSUI UMA DAS PERNAS, CAMINHA COM AUXÍLIO DE MULETAS, QUANDO SE MANIFESTA EM ALGUM FILHO, ESTE DANÇA NORMALMENTE EM APENAS EM UMA DE SUAS PERNAS

Dia da semana: quinta feira
Cores: marelo e verde

OFERENDA: PIPOCA E IAPETÉ (BATATA INGLESA ESMAGADA COM AZEITE-DE-DENDÊ, A QUAL SE DÁ FORMA DE PORONGO CUIA OU VASO FEITO COM O FRUTO SECO E SEM O MIOLO DO PORONGO (1); CABAÇA, CABAÇO.DENTRO DA CABAÇA COLOCAR BASTANTE FOLHAS

ERVAS: As MESMAS DE OXOSSI.INCLUINDO:

Amendoim: Ossaim aprecia muito e adora saboreá-lo torrado, sem casca. O amendoim fornece um bom óleo para luz e também para a cozinha. Suas sementes são estimulante e fortalecem as vistas e a pele, além de ser em excelente afrodisíaco. Nos rituais, é empregado cozido e utilizado em sacudimentos, com excelentes resultados.Celidônia maior: É indicada pela medicina caseira como excelente medicamento nas doenças dos olhos, usando a água do cozimento da planta para banhá-los. Seu chá também é de grande eficácia para banhar o rosto e dar fim às manchas e panos.Coco de Dendê: É conhecido entre os Yorubás como Adin. Sua semente, desprovida da polpa, fornece um óleo branco, sólido, e serve para substituir a manteiga. É a chamada manteiga de karité. Este coco é muito prestigiado pela medicina caseira, pois debela cefaléias, anginas, fraqueza dos órgãos visuais e cólicas abdominais.Erva de Passarinho: É muito aplicada principalmente no abô do orixá, nas obrigações renovadas anualmente e nos abô de babalossaim. Nas renovações, esta planta é a duodécima folha que completa o ato litúrgico renovatório. Na medicina popular, esta planta é empregada com sucesso absoluto, contra as moléstias uterinas, corrimentos e também para dar fim às úlceras. As folhas e flores são usadas em caso de diabetes, hemoptises e hemorragias diversas.Erva de Santa Luzia: Muito usada nas obrigações de cabeças, ebori, lavagem de contas, feitura de santo e tiragem de zumbi. De igual maneira, também se emprega nos abô, banhos de descarrego ou limpeza dos filhos dos orixás. A medicina popular a consagrou como um grande remédio, por ser de grande eficácia contra o vício da bebida. O cozimento de suas folhas é empregado contra doenças dos olhos e para desenvolver a vidência.Gitó – carrapeta: Sua utilização se restringe ao uso litúrgico e ritualístico. É largamente empregada nos banhos de limpeza e purificação do orixá. Usada também em banhos de cabeça para desenvolver a vidência, audição e intuição. A medicina popular aplica-a na cura de moléstia dos olhos, porém em lavagens externas.Guabira: Aplicada em todas as obrigações de cabeça, nos abô de uso geral e nos banhos de purificação e limpeza dos filhos dos orixás. A medicina caseira a indica no sentido de pôr fim aos males dos olhos conjuntivites. Em banhos, favorecem aos que sofrem de reumatismo e devem ser feitos em banheiras ou bacias, sendo mais ou menos demorados.Lágrima de Nossa Senhora: É usada nas obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de descarrego ou limpeza. O povo a indica como excelente diurético, em chá. Os banhos debelam o reumatismo e reduzem as inchações. As folhas e as sementes são indicadas para banhar os indicadas para banhar os olhos, propiciando bem-estar. A aplicação deve ser feita pela manhã, após ter deixado o banho ficar na noite anterior sob o sereno. Retire antes do sol nascer e aplique sobre os olhos.Narciso dos Jardins: Entra nos trabalhos em razão de ser suporte para o fetiche de Ossaim, para o assentamento. Para ser utilizada, plante-a em um pote, no canto do vegetal, coloque o fetiche e por dentro do pote prenda o pé do fetiche com um pouco de tabatinga deixa-se secar em lugar longe de correntes de vento para que possam ter perfeita fixação. Quando estiver seco, o trabalho, procede-se com o sacrifício da ave correspondente ao orixá da folha (o galo), deixando o ejé banhar todo o fetiche. Acrescente fumo de rolo, banhe todo o fetiche com vinho moscatel e mel de abelhas, separadamente. Ao terminar, coloque o pote, com um abrigo circular por cima, e leve-o para cima do telhado do terreiro, lado esquerdo de casa e direito de quem a olha de frente. Não possui uso na medicina popular, pois é tida como planta venenosa.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

ERVAS DE OXOSSI

OXÓSSI
ERVAS E FINALIDADES NO RITUAL E NA MEDICINA POPULAR
A
Acácia Jurema: Usada em banhos de limpeza, principalmente dos filhos de Oxóssi. É também utilizada em defumações. A medicina popular a utiliza em banhos ou compressas sobre úlceras, cancros, fleimão e nas erisipela.
Alecrim de Caboclo: Erva de Oxalá, porém mais exigido nas obrigações de Oxóssi. Não possui uso na medicina popular.
Alfavaca do Campo: Emprega-se nas obrigações de cabeça, nos banhos de descarrego e nos abô dos filhos do orixá a que pertence. A medicina caseira aplica esta planta para combater as doenças do aparelho respiratório, combate principalmente as tosses e o catarro dos brônquios; preparado como xarope é eficaz contra a coqueluche. Usada em chá ou cozimento das folhas.
Alfazema de Caboclo: Conhecida popularmente como jureminha, a Alfazema é usada em todas as obrigações de cabeça, nos banhos de limpeza ou abô e nas defumações pessoais ou de ambientes. A medicina caseira usa os pendões florais, contra as tosses e bronquites, aplicando o chá.
Araçá – Araçá de Coroa: Suas folhas são aplicadas em quaisquer obrigações de cabeça, nos abô e banhos de purificação. A medicina popular considera essa espécie como um energético adstringente. Cura desarranjos intestinais e põe fim às cólicas.
Araçá da Praia: Planta arbórea pertencente a Yemanjá e a Oxóssi. É empregada nas obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de purificação dos filhos dos orixás a que pertence. No uso popular cura hemorragias, usando-se o cozimento. Do mesmo modo também é utilizado para fazer lavagens genitais.
Araçá do Campo: É utilizada em banhos de limpeza ou descarrego e em defumações de locais de trabalho. A medicina popular emprega o chá contra a diarréia ou disenteria e como corretivo das vias urinárias.
C
Caapeba Pariparoba: Muito usada nas obrigações de cabeça e nos abô para as obrigações dos filhos recolhidos. Folha de muito prestígio nos Candomblés Ketu, pois serve para tirar mão de zumbi. A medicina popular utiliza seu chá para debelar males do fígado, e o cozimento das raízes para extinguir as doenças do útero. Surte efeito diurético.
Cabelo de Milho: Somente o pé do milho pertence a Oxóssi; as espigas de milho em casa propicia despensa farta. Quando secar troque-a por outra verde. O cabelo de milho é muito usado pela medicina do povo como diurético e dissolvente dos cálculos renais. É usado em chá.
Capim Limão : Erva sagrada de uso constante nas defumações periódicas que se fazem nos terreiros. Propicia a aproximação de espíritos protetores. A medicina caseira a aplica em vários casos: para resfriados, tosses, bronquites, também nas perturbações da digestão, facilitando o trabalho do estômago.
Cipó Caboclo: Muito utilizada em banhos de descarrego. O povo lhe dá grande prestígio ao linfantismo, por meio de banhos. Usada do mesmo modo combate inflamações das pernas e dos testículos.
Cipó Camarão: Usada apenas em banhos de limpeza e defumações. O povo indica que, em cozimento é de grande eficácia no trato das feridas e contusões.
Cipó Cravo: Não possui uso ritualístico. Na medicina caseira atua como debelador das dispepsias e dificuldade de digestão. Usa-se o chá ao deitar. É pacificador dos nervos e propicia um sono tranqüilo. A dose a ser usada é uma xícara das de café ao deitar.
Coco de Iri: Sua aplicação se restringe aos banhos de descarrego, empregando-se as folhas. A medicina caseira indica as suas raízes cozidas para por fim aos males do aparelho genital feminino. É usado em banhos semicúpios e lavagens.
E
Erva Curraleira: Aplicada em todas as obrigações de cabeça e nos abô dos filhos do orixá da caça. Na medicina popular é aplicada como diurético e sudorífico, sendo muito prestigiada no tratamento da sífilis. Usa-se o cozimento das folhas.
G
Guiné Caboclo: Utilizado em todas as obrigações de cabeça, nos abô, para quaisquer filhos, nos banhos de descarrego ou limpeza, etc. Indispensável no candomblé. O povo usa para debelar os males dos intestinos, beneficia o estômago na má digestão. Usa-se o chá.
Goiaba – Goiabeira: É utilizada em quaisquer obrigações de cabeça, nos abô e nos banhos de purificação dos filhos de Oxóssi. A medicina caseira usa a goiabeira como adstringente. Cura cólicas e disenterias. Excelente nas diarréias infantis.
Groselha – Groselha Branca: Suas folhas e frutos são utilizados nos banhos de limpeza e purificação. A medicina popular diz que se fabrica com o fruto um saboroso xarope que se aplica nas tosses rebeldes que ameaçam os brônquios.
Guaco Cheiroso: Aplica-se nas obrigações de cabeça e em banhos de limpeza. Popularmente, esta erva é conhecida como coração de Jesus. Medicinalmente, combate as tosse rebeldes e alivia bronquites agudas, usando-se o xarope. Como antiofídico (contra o veneno de cobra), usam-se as folhas socadas no local e, internamente, o chá forte.
Guaxima Cor de Rosa: Usada em quaisquer obrigações de cabeça e nos abô dos filhos do orixá da caça. É de costume usar galhos de guaxima em sacudimentos pessoais e domiciliares. Muito útil o banho das pontas. A medicina popular usa as flores contra a tosse; as folhas são emolientes; as pontas, sementes e frutos são antifebris.
Guiné Caboclo: Utilizado em todas as obrigações de cabeça, nos abô, para quaisquer filhos, nos banhos de descarrego ou limpeza, etc. Indispensável na Umbanda e no Candomblé. O povo usa para debelar os males dos intestinos, beneficia o estômago na má digestão. Usa-se o chá.
H
Hissopo – Alfazema de Caboclo: Aplicada nos ebori e nas lavagens de contas, do mesmo modo é empregado nos abô para limpeza dos iniciados. É muito usado nas afecções respiratórias, elimina o catarro dos brônquios. Usa-se o chá.
I
Incenso de Caboclo – Capim-limão: Usada nas defumações de ambientes e nos banhos de descarrego. O povo a utiliza para exterminar resfriados, minorar as bronquites e, também, nas perturbações da digestão.
J
Jaborandi: De grande aplicação nas várias obrigações. A medicina popular adotou esta planta como essencial na lavagem dos cabelos, tornando-os sedosos e brilhantes. Tem grande eficácia nas pleurisias, nas bronquites e febres que tragam erupções. Usa-se o chá internamente.
Jacatirão: Pleno uso em quaisquer obrigações. O seu pé, e cepa são lugares apropriados para arriar obrigações. Não possui uso na medicina caseira.
Jurema Branca: Aplicada em todas as obrigações de ori, em banhos de limpeza ou descarrego e entra nos abô. É de grande importância nas defumações ambientais. A medicina caseira indica as cascas em banhos e lavagens como adstringente. Em chá tem efeito narcótico, corrigindo a insônia.
M
Malva do Campo – Malvarisco: Seu uso se restringe aos banhos descarrego e limpeza. O povo a indica como desinflamadora nas afecções da boca e garganta. É emoliente, propiciando vir a furo os tumores da gengiva. Usa-se em bochechos e gargarejos.


P
Piperegum Verde – Iperegum Verde: Erva de extraordinários efeitos nas várias obrigações do ritual. A medicina aponta-a como debeladora de reumatismo, usando-se banhos e compressas.
Piperegum Verde e Amarelo: Tem o mesmo uso ritualístico prescrito para o piperegum de Oxóssi. Originária de guiné, na África. Trata-se de uma erva que possui extraordinário efeitos nas várias obrigações do ritual, possuindo grande eficácia nos sacudimentos pessoais e domiciliares e nos abô como afastamento de mão de cabeça no caso de zelador (a) de santo vivo, cercando as pernas da pessoa com folhas de piperegum ou amarradas ao tornozelo, feito isso a cerimônia é iniciada. A medicina caseira aponta o piperegum como um dos melhores remédios para debelar o reumatismo, devendo ser usado em banhos ou compressas.
Pitangatuba: Usado em quaisquer obrigações de ori, ebori, lavagem de contas e dar de comer à cabeça. A farmácia do povo indica em chá, nos casos de febres e também para desobstruir os brônquios.

domingo, 17 de agosto de 2008

Convite

A Casa Branca convida a seus filhos e amigos para a homenagem aos Orixás:Iemanjá ,Obaluaê e Nanã.
Agradecemos a presença.
Mãe Maria, Pai Solano e Mãe Luciene.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Ervas de Obaluaê -Uso Liturgico e medicinal

OBALUAÊ
ERVAS E FINALIDADES NO RITUAL E NA MEDICINA POPULAR

A
Agoniada: Faz parte de todas as obrigações do deus das endemia e epidemias. Utilizada no ebori, nas lavagens de contas e na iniciação. Esta erva purifica os filhos-de-santo, deixando-os livres de fluidos negativos. Na medicina popular, a mesma é usada para corrigir o fluxo menstrual e combate asma.
Alamanda: Não é utilizada em obrigações, sendo empregada somente em banhos de descarrego. Na medicina caseira ela é usada para tratar doenças da pele: sarna (coceiras), eczema e furúnculos. Para usar é necessário que se cozinhe as folhas, e coloque chá de folhas sobre a doença.
Alfavaca Roxa: Empregada em todas as obrigações de cabeça e nos abô dos filhos deste orixá. Muito usada em banhos de limpeza ou descarrego. A medicina caseira usa seu chá em cozimento, para emagrecer.
Alfazema: Empregada em todas as obrigações de cabeça. É aplicada nas defumações de limpeza, usada também na magia amorosa em forma de perfume. A medicina popular dita grandes elogios a esta erva, pois ela é excelente excitante e antiespasmódica. É usada, também, como reguladora da menstruação. Somente é aplicada como chá.
Araticum-de-Areia – Malolô: Liturgicamente, os bantos a usam nos banhos de descarrego, em mistura de outra erva. A medicina caseira indica a polpa dos frutos para resolver tumores e o cozimento das folhas no tratamento do reumatismo.
Arrebenta Cavalo: No uso ritualístico esta erva é empregada em banhos fortes do pescoço para baixo, em hora aberta. É também usado em magias para atrair simpatia. Não é usada na medicina caseira.
Assa-peixe: Usada em banhos de limpeza e nos ebori. Na medicina popular ela é aplicada nas afecções do aparelho respiratório em forma de xarope.
B
Babosa: Muito usada em rituais de Umbanda, mais especificamente em defumações pessoais. Para que se faça a defumação, é necessário queimar suas folhas depois de secas. Isso leva um certo tempo, devido a gosma abundante que há na babosa. A defumação é feita após o banho de descarrego. Para a medicina caseira sua gosma é de grande eficácia nos abscessos ou tumores, além de muitas outras aplicações.
Beldroega: Usada nas purificações das pedras de orixá e, principalmente as de Exu. O povo usa suas folhas socadas para apressar a cicatrização das feridas, colocando-as por cima.
C
Canena Coirana: Vegetal de excelente aplicação litúrgica, pois entra em todas as obrigações. O povo a tem como excelente estimulante do fígado.
Carobinha do Campo: Em alguns terreiros essa planta faz parte do ariaxé. A medicina caseira indica o chá de suas folhas para combate coceiras no corpo e, principalmente coceira nas partes genitais.
Capixingui: Empregada em todas as obrigações de cabeça, nos abô, nos banhos de purificação e limpeza e, também nos sacudimentos. Tem bons efeitos no reumatismo e no artritismo (reumatismo articular) utilizado em banhos, mais ou menos quentes, colocando-se nas juntas doloridas.
Cebola do Mato: Sem uso ritualístico. A medicina caseira afirma que o cozimento de suas folhas apressa a cicatrização de feridas rebeldes.
Celidônia Maior: Não possui uso ritualístico. É indicada pela medicina caseira como excelente medicamento nas doenças dos olhos, usando a água do cozimento da planta para banhá-los. Seu chá também é de grande eficácia para banhar o rosto e dar fim às manchas e panos branco.
Cipó-Chumbo: Sem uso na liturgia, porém muito prestigiada na medicina popular, como xarope debela tosses e bronquites; seu chá é muito eficaz no combate a diarréias sanguinolentas e à icterícia; seco e reduzido a pó, cicatriza feridas rebeldes.
Coentro: Muito aplicada como adubo ou condimento nas comidas do orixá, principalmente na carne e no peixe. Não é empregada nas obrigações ritualísticas. A medicina caseira indica esta erva como reguladora das funções digestivas e eliminadora de gases intestinais.
Cordão de Frade: É aplicada somente em banhos de limpeza e descarrego dos filhos deste orixá. O povo a indica para a cura da asma, histerismo e pacificador dos nervos. Também combate a insônia.
Cotieira: Não sabemos ao certo se esta erva tem aplicação ritualística. Na medicina caseira ela é estritamente de uso veterinário. Muito aplicada em cães para purgar e purificar feridas
E
Erva Moura: Esta erva faz parte dos banhos de limpeza e purificação dos filhos do orixá. Seu uso popular é como calmante, em doses de uma xícara das de café, duas a três vezes ao dia. Essa dose não deve ser aumentada, de modo algum, pois em grande quantidade prejudica. As folhas tiradas do pé, depois de socadas, curam úlceras e feridas.
Estoraque Brasileiro: Sua resina é colhida e reduzida a pó. Este pó, misturado com benjoim, é usado em defumações pessoais. Essa defumação destina-se a arrancar males. O povo aconselha o pó desta no tratamento das feridas rebeldes ou ulcerações, colocando o mesmo sobre as lesões
F
Figo Benjamim: Erva muito usada na purificação de pedras ou ferramentas e na preparação do fetiche de Exu. Empregada, também, em banhos fortes para pôr fim a padecimentos de pessoa que esteja sofrendo obsidiação ou obsessão. O povo aplica o cozimento das folhas para tratar feridas rebeldes, e banhos para curar o reumatismo.

G
Guararema: Em terreiros de Umbanda e Candomblé ela é aplicada em banhos fortes e nos descarrego. Os galhos da erva são usados em sacudimentos domiciliares. Os banhos fortes a que nos referimos são aplicados em encruzilhadas – na encruzilhada em que se tomar o banho arria-se um mi-ami-ami, oferecido a Exu. E deve ser feito em uma encruzilhada tranqüila. É um banho de efeitos surpreendentes. Na medicina caseira esta erva é utilizada para exterminar abscessos, tumores, socando-se bem as folhas e colocando-as sobre a tumorização. O cozimento das folhas é eficaz no tratamento do reumatismo. Em banhos quentes e demorados, de igual sorte também cura hemorróidas.
H
Hortelã Brava: Empregada em obrigações de ori, nos abô e nos banhos de purificação dos filhos deste orixá. O uso caseiro é utilizada para combater o veneno de cobras, lacraias e escorpiões. É eficaz contra gases intestinais, dores de cabeça e como diurético. É perfeita curadora de coceiras rebeldes e tiro acertado nos catarros pulmonares, asma e tosse nervosa, rebelde.
J
Jenipapo: As folhas servem para banhos de descarrego e limpeza. A medicina caseira aplica o cozimento das cascas no tratamento das úlceras, o caldo dos frutos é combatente de hidropsia.
Jurubeba: Somente usada em obrigações com objetivo de descarrego e limpeza. Suas folhas e frutos permitem o bom funcionamento do fígado e baço, garante a sabedoria popular. Debela e previne hepatite com ou sem edemas.
M
Mangue Cebola: É usado apenas em sacudimentos domiciliares, utilizando o fruto, a cebola. Procede-se assim: corta-se a cebola em pedaços miúdos e, cantando-se para Exu, espalha-se pela casa, nos recantos, e sob os móveis. O povo usa a cebola, fruto do mangue, esmagada sobre feridas rebeldes.
Mangue Vermelho: Usa-se apenas as folhas, em banhos de descarrego. O povo a indica como excelente adstringente que possui alto teor de tanino. Muito eficaz no tratamento das úlceras e feridas rebeldes, aplicando o cozimento das folhas em compressas ou banhando a parte lesada.
Manjericão Roxo: Empregado nas obrigações de ori dos filhos pertencentes ao orixá das endemias. Colhido e seco, sua folha previne contra raios e coriscos em dias de tempestades, usando o defumador. Também é usada como purificador de ambiente. Não possui uso na medicina popular.
Musgo: Aplicada em todas as obrigações de cabeça referentes a qualquer orixá. A medicina caseira aconselha a aplicação do suco no combate às hemorróidas (uso tópico).
P
Panacéia: Entra nas obrigações de ori e banhos de descarrego ou limpeza. O povo a aponta como poderoso diurético e de grande eficácia no combate à sífilis, usando-se o chá. É indicada também no tratamento das doenças de pele, darros, eczemas e ainda debela o reumatismo, quando usada em banhos.
Picão da Praia: Apenas na Bahia ouvimos falar que esta planta pertence a Obaluaiê. Não conhecemos seu uso ritualístico. A medicina popular dá-lhe muito prestígio como diurético e eficaz nos males da bexiga. Usada como chá.
Piteira Imperial: Seu uso se limita às defumações pessoais, que são feitas após o banho. A medicina popular utiliza as folhas verdes, em cozimento, para lavar feridas rebeldes, aproximando a cura ou cicatrização.
Q
Quitoco: Usada em banhos de descarrego ou limpeza. Para a medicina popular esta erva resolve males do estômago, tumores e abscessos. Internamente é usado o chá, nos tumores aplica-se as folhas socadas. Muito utilizada nas doenças de senhoras.

S
Sabugueiro: Não possui uso ritualístico. É decisiva no tratamento das doenças eruptivas: sarampo, catapora e escarlatina. O cozimento das flores é excelente para a brotação do sarampo.
Sumaré: Não tem aplicação ritualística ou obrigações litúrgicas. Porém possui grande prestígio popular, devido ao seu valor curativo, promovendo com espantosa rapidez a abertura de tumores de qualquer natureza, pondo fim às inflamações. É empregado contra furúnculos, panarícios e erisipelas, regenerando o tecido atacado por inflamações de qualquer origem.
T
Trombeteira Branca: Não possui nenhuma aplicação nas obrigações de cabeça. Apenas é usada nos banhos de limpeza dos filhos do orixá da varíola. Seu uso na medicina popular é pouco freqüente. Aplica-se apenas nos casos de asma e bronquite.
U
Urtiga Mamão: Aplicada em banhos fortes, somente em casos de invasão de eguns. O banho emprega-se do pescoço para baixo. Esse banho destrói larvas astrais e afasta influências perniciosas. O povo indica esta erva na cura de erisipela, usando um algodão embebido do leite da planta. O chá de suas folhas debela males dos rins.
V
Velame do Campo: Vegetal utilizado em todas as obrigações principais: ebori, simples ou completo. Indispensável na feitura de santo e nos abô dos filhos do orixá. Na medicina caseira o velame é utilizado como anti-sifilítico e anti-reumático.
Velame Verdadeiro: Possui plena aplicação em quaisquer obrigações de cabeça e nos abô. Usada também nos sacudimentos. A medicina do povo afirma ser superior a todos os depurativos existentes, além de energético curador das doenças da pele.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Oferendas

A Umbanda não realiza, em qualquer hipótese, o sacrifício ritualístico de animais nem utiliza quaisquer elementos destes em ritos, oferendas ou trabalhos.RESPEITA TODAS AS RELIGIÕES QUE FAZEM USO DESSES RITOS,MAS A UMBANDA NÃO PRATICA O SACRIFÍCIO DE ANIMAIS

Não faz parte do ritual da Umbanda a colocação de despachos ou oferendas em esquinas urbanas,pois seria contrário às Leis que a Umbanda prega de: proteção ao meio ambiente à natureza e aos animais e mais importante, aos nossos guias,Exus, crianças e Orixás colocando a comida ou a oferenda em uma esquina qualquer...Na nossa Casa Branca temos os lugares adequados para se fazer as oferendas com dignidade e respeito e fé.
Qualquer Oferenda que for deita aos orixás,não deve ser jogada fora,mas sim servir de alimento onde os filhos da Casa fazem um rito de comunhão confraternização.POR ISSO NOSSAS OFERENDAS LEVAREM MUITAS FRUTAS.

- Todo serviço da Umbanda é de caridade, jamais cobrando ou aceitando retribuição de qualquer espécie por atendimentos, consultas ou trabalhos. Quem cobra por serviço espiritual não é umbandista.

Oferendas

...Repassando... sobre as oferendas.

As oferendas

Como as técnicas de extração energética da natureza estão adormecidas em nosso mental, pois é, porque nós enquanto viventes no plano astral nos alimentamos de energia sutil e quando encarnamos esta técnica é adormecida em nosso inconsciente e no Ocidente estas técnicas estão pouco difundidas. Por isso praticamos a oferenda. Ora, a oferenda não passa de um ato ao qual nos submetemos em depositar diversos elementos naturais que na maioria das vezes não sabemos para que serve e elevarmos nossos pensamentos aos mentores e orixás.
Fisicamente é assim que se entende. Do lado espiritual, os nossos amparadores vêm receber a oferta, extraem o prâna dos elementos e revertem para nós mesmos de acordo com a nossa necessidade.
Não pense que os espíritos se alimentam destas ofertas, até porque estão em planos mais elevados de onde extraem outros níveis de energia de acordo com as suas condições. Entende-se então que praticamente fazemos oferendas para nós mesmos. Parece engraçado né? Mas é funcional e esta prática já ocorre a milhões de anos atrás.
Não confunda a oferenda ritual de elementos naturais com estas oferendas feitas com frituras, cozimentos etc. Não tem fundamento nesta prática, porque ao fritar ou cozinhar, os alimentos perdem quase todo o prâna. Somente espíritos zombeteiros e trevosos e até as “almas penadas” é que sentem necessidade destas ofertas, para saciarem seus vícios terrenos.
No caso de médiuns ativos que de tempo em tempo lhe é solicitado a oferenda isto ocorre também para direcionar as energias a um irmão necessitado que este médium por ventura esteja ajudando.
Que fique bem claro que não quero mudar as práticas litúrgicas, mas tão somente, fortalecê-la, pois, com a racionalização e conhecimento sobre as práticas ritualísticas leva a todos ao fortalecimento da fé e o controle dos exageros.
Retomando o raciocínio, sabemos então, que a natureza física na terra funciona como verdadeiros chakras planetários que absorvem as forças do Universo e irradia no planeta sua essência dando assim o equilíbrio ao planeta e aos seres que aqui habitam. Desta forma não faz lógicas nossos irmão se dirigirem a uma mata para fazer uma oferta e “esquecerem” garrafas, panos, copos etc, etc, etc na natureza.
Pense, desta forma poluirá o chakra planetário, que com o tempo adoecerá e isto vai refletir em nós. Também denigre a moral da religião.
Quando se oferenda flores leve em vasos e plante no local, será mais agradável para a natureza e para si mesmo, pois enquanto a flor viver ela vibrará energias em sua direção ou na direção que você ordenou a ela. Levando flores amputadas você estará ofertando um elemento “defunto”, ou seja, que já está em processo acelerado de decomposição.
Ao invés de depositar a oferenda em cestos de vime, panos de cetim, pratos etc, utilize folhas de ervas do próprio ambiente que estiver. Uma boa dica é utilizar folhas de fumo, bananeira, chapéu-de-couro, negamina, eucalipto, ou qualquer que estiver no ambiente.
Saiba que cada fruta, fruto, raiz, legume, verdura, etc, têm ligações diretas com os chakras e aprenderemos como identificar e extrair o prâna para aplicar em nós ou em outra pessoa no curso Magia das Oferendas que ministro a 05 anos, onde esta abertura consciencial nos permite através das iniciações ser um manipulador do reino vegetal e levar a cura para onde estivermos.
Abraço a todos! Salve a Jurema!

Agosto de festas para os orixás



As festas de Agosto na Casa Branca de Oxalá.

Salve Iemanjá, Nanã e obaluaê!!!

Festas de Agosto IEMANJÁ OBALUAÊ E NANÃ

OBALUAÊ OU OMOLÚ

"A SUA ROUPA É DE PALHA SANTA
SUA MORADA É NO CAMPO SANTO.
TEM O DOM DE CURAR
E O PODER DE TRANSFORMAR.
SUA FLOR É O CRAVO
SUA COMIDA É A PIPOCA.
SALVE O MESTRE OMOLU
ATOTO MEU PAI
ATOTO OBALUAÊ ".

OBALUAÊ - OMOLU: ORIXÁ MASCULINO DAOMEDANO, FILHO DE NANÃ BURUKÊ.
A FIGURA DE OBALUAÊ - OMOLU É COMPLETAMENTE CERCADA DE MISTÉRIOS E DOGMAS INDEVASSÁVEIS. EM TERMOS GERAIS, A ESSE ORIXÁ É ATRIBUÍDO O CONTROLE SOBRE TODAS AS DOENÇAS, ESPECIALMENTE AS EPIDEMIAS.
OBALUAÊ TANTO PODE CAUSAR A DOENÇA COM POSSIBILITAR A CURA DO MESMO MAL QUE CAUSOU.
OBALUAÊ É O SENHOR DOS ESPÍRITOS ENCARNADOS E DESENCARNADOS. PODEROSO ORIXÁ, RESPONSÁVEL PELOS ELEMENTOS DESINTEGRADORES, CUJAS TRANSFORMAÇÕES PROCESSAM-SE MOMENTO A MOMENTO, NA EXPRESSÃO DA GRANDE VIDA.
É CONSIDERADO O MÉDICO DOS POBRES. ESTA LIGADO A TERRA, ASSIM COMO À MORTE.
OBALUAÊ QUE DIZER, "REI, SENHOR DA TERRA". É UM DOS MAIS IMPORTANTES ORIXÁS DA UMBANDA, POIS ESTÁ LIGADO TAMBÉM A SAÚDE. ORIXÁ QUE GERA O BOM FUNCIONAMENTO DO ORGANISMO; ORIXÁ DAS PESTES E DAS MOLÉSTIAS E QUE TEM SEU ROSTO COBERTO PELO FILÁ, FEITO DE PALHA DA COSTA, POIS A TODOS É PROIBIDO VER SEU ROSTO.
É O ORIXÁ DA TRANSFORMAÇÃO. SÃO ENERGIAS DESINTEGRADAS, ENERGIA LETAL. É TAMBÉM CONHECIDO COMO O SENHOR DA MORTE E DA DESTRUIÇÃO. REGE A TRANSMUTAÇÃO EM TODOS OS SENTIDOS. POR ISSO MUITAS VEZES MAL COMPREENDIDO E CHAMADO DO "SENHOR DO CEMITÉRIO" O QUE NÃO ESTÁ CORRETO, PORQUE OMOLÚ REGE A TRANSFORMAÇÃO, E NÃO SOMENTE A MORTE, EMBORA SEJA ESTA A MAIOR DAS TRANSFORMAÇÕES QUE UM SER HUMANO POSSA PASSAR.
O NOME EM IORUBÁ OBÀLÚWÀIYÉ É TRADUZIDO POR (REI E SENHOR DA TERRA), OBA (REI) AIYÊ (TERRA), OBALUAIYÊ, OBALUAÊ, XAPANÃ, OMOLU, SÃO ALGUNS DOS NOMES COMO É CONHECIDO ESSE ORIXÁ AFRICANO. OS ORIXÁS NANÃ (CUJO EMBLEMA É O IBIRI) E SEUS FILHOS OBALUAIYÊ (CUJO EMBLEMA É O XARARÁ) E OXUMARÉ (CUJO EMBLEMA É UMA COBRA) PERTENCEM AO PANTEÃO DA TERRA.
NOMES
OBÀLUÁYÊ "REI SENHOR DA TERRA", OMOLU "FILHO DO SENHOR", SAPATA "DONO DA TERRA" SÃO OS NOMES DADOS A SÀNPÒNNÁ (UM TÍTULO LIGADO A GRANDE CALOR O SOL - TAMBÉM É CONHECIDO COMO (BABÁ IGBONA = PAI DA QUENTURA) DEUS DA VARÍOLA E DAS DOENÇAS CONTAGIOSAS, É LIGADO SIMBOLICAMENTE AO MUNDO DOS MORTOS. OUTRA CORRENTE OS DEFINE COMO: OBÀLUÁYÊ: OBÁ - ILU; AIYE; REI, DONO, SENHOR; DA VIDA; NA TERRA; OMOLU; OMO-ILU; REI, DONO, SENHOR; DA VIDA.
COR A SER METALIZADA: PRETO E BRANCO
O QUE MENTALIZAR: A TERRA, A TRANSFORMAÇÃO DOS ELEMENTOS.
ELEMENTO: TERRA
CÂNTICOS: SEUS CÂNTICOS GERALMENTE FALAM DE COISAS SOMBRIAS, SEVERAS E MORTAIS. FALAM DA SAÚDE E DA DOENÇA - POIS TANTO A SAÚDE E A DOENÇA NOS CONDUZEM ÀS NOSSAS TRANSFORMAÇÕES. DIZEM DO RESPEITO AO MAIS VELHOS. SEUS CÂNTICOS LAMENTOSOS, RECORDAM O PASSADO, FALAM DO PRESENTE MAS NADA DIZEM DO FUTURO.

"QUEM VÊ O VELHO NO CAMINHO / TOME A BENÇÃO
DEUS ABENÇOE / DEUS ABENÇOE / DEUS ABENÇOE
OBALUAÊ DEUS ABENÇOE"

CARACTERÍSTICAS DE SEUS FILHOS: INTROSPECTIVOS, PENSATIVOS, RESERVADOS, OBSERVADORES, PESQUISADORES, MODESTOS, SIMPLES E MISTERIOSOS. NORMALMENTE TEM POUCOS, MAS SINCEROS AMIGOS. SÃO LENTOS, CALMOS E AGITADOS AO MESMO TEMPO. SÃO ESTUDIOSOS QUANDO SE INTERESSAM POR UM ASSUNTO E DE PREFERÊNCIA MÍSTICO. GOSTAM DE LUGARES SOMBRIOS E SEM MUITA GENTE. NO LADO NEGATIVO SÃO MEDROSOS, INDECISOS E APREENSIVOS. SÃO FATALISTAS, DRAMÁTICOS E EXAGERADOS, TEIMOSOS, PIRRACENTOS, NERVOSOS E ANSIOSOS. O ARQUÉTIPO DE OBALUAÊ É O DAS PESSOAS COM TENDÊNCIAS MASOQUISTAS, QUE GOSTAM DE EXIBIR SEUS SOFRIMENTOS E AS TRISTEZAS DAS QUAIS TIRAM UMA SATISFAÇÃO ÍNTIMA. PESSOAS QUE SÃO INCAPAZES DE SE SENTIREM QUANDO A VIDA LHES CORRE TRANQÜILA. PODEM ATINGIR SITUAÇÕES MATERIAIS INVEJÁVEIS E REJEITAR, UM BELO DIA, TODAS ESSAS VANTAGENS POR CAUSA DE CERTOS ESCRÚPULOS IMAGINÁRIOS. PESSOAS QUE EM CERTOS CASOS SENTEM-SE CAPAZES DE SE CONSAGRAR AO BEM-ESTAR DOS OUTROS, FAZENDO COMPLETA ABSTRAÇÃO DE SEUS PRÓPRIOS INTERESSES E NECESSIDADES VITAIS.

DIA EM QUE SE COMEMORA OBALUAÊ: 16 DE AGOSTO. (DE ACORDO COM O CALENDÁRIO OFICIAL DE UMBANDA).
A SAÚDE E OS FILHOS DE OBALUAÊ: QUASE TODOS OS FILHOS DE OMOLÚ / OBALUAÊ TÊM PROBLEMAS DE SAÚDE. BARRIGA, BEXIGA, DORES NAS COSTAS E TRAZEM MARCAS NAS PERNAS OU NO CORPO.
O QUE PEDIR A ESTE ORIXÁ: SAÚDE PRINCIPALMENTE, AJUDA PARA AS NOSSAS TRANSFORMAÇÕES PSÍQUICAS E MENTAIS. COMPREENSÃO, PORQUE A TRANSFORMAÇÃO SEM A COMPREENSÃO É SIMPLESMENTE A MODIFICAÇÃO. AJUDA EM CASOS SÉRIOS DE DOENÇAS. SAÚDE FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL.
FLORES: QUARESMEIRA, CRAVO VERMELHO, ROSAS BRANCAS, PALMAS. ( FLOR DE OBALUAÊ - PIPOCA ).
FRUTAS: BANANA DA TERRA, ABACAXI, LARANJA LIMA.
ERVAS: VELAME, MASTRUÇO, VASSOURA PRETA, FOLHA DE LARANJA LIMA, CANELA DE VELHO, BARBA DE VELHO, FOLHAS DE MILHO, FOLHAS DE GAMELEIRA PRETA ( IRÔKO ), TAIOBA, RAMA DE LEITE, ERVA DE PASSARINHO, QUARESMEIRA.

BEBIDAS: VINHO TINTO, ALOÁ, SUMO DE SUA PRÓPRIAS ERVAS.
SAUDAÇÃO: ATOTÔ OBALUAÊ
ATOTÔ = ESCUTAI, SILÊNCIO, ELE ESTÁ EM TERRA
OBALUAÊ = OBA (REI), LUAYE (CÉU E TERRA)
ATOTÔ OBALUAÊ QUE DIZER "ESCUTAI REI DO CÉU E DA TERRA".

PONTOS

QUANDO EU VENHO LÁ DE CIMA,
A MINHA MÃE RECOMENDOU.
LEVA ESTE CRAVO VERMELHO
QUE É PARA DAR SEU ATÔTÔ,
ATÔTÔ OBALUAÊ / ATÔTÔ OBALUAÊ

MEU PAI OXALÁ É O REI VENHA ME VALER,
E O VELHO OMOLÚ ATÔTÔ OBALUAÊ
ATÔTÔ OBALUAÊ / ATÔTÔ BABÁ (BIS)

OMOLÚ OMOLÚ SALVE A PALHA E O DENDÊ
EU VOU PEDIR A PAI OGUM PRA CHAMAR OBALUAÊ

OFERENDAS PARA OBALUAÊ
OBALUAÊ PEGA ALGUMAS COMIDAS E OFERENDAS DE DE NANÃ



PIPOCA
1 PCT. DE PIPOCA,
ESTOURAR A PIPOCA E COLOCAR EM UM AGUIDAR
BANANA DA TERRA FRITA NO DENDÊ
CRAVOS VERMELHOS, FLORES E FOLHAS DE SABUGUEIRO
BARBA DE VELHO
1 VELA BRANCA/PRETA
1 VINHO TINTO SECO
1 VIDRO DE DENDÊ
EFÓ
MEIO QUILO DE CAMARÃO SECO, DESCASCADO. PIMENTA-MALAGUETA EM PÓ. MEIO DENTE DE ALHO. UMA CEBOLA. UMA PITADA DE COENTRO. UM MAÇO DE ( LÍNGUA-DE-VACA OU TAIOBA, OU BERTALHA, OU ESPINAFRE, OU MOSTARDA). PRIMEIRO, AFERVENTA-SE A LÍNGUA-DE-VACA, ESCORRE-SE NA PENEIRA, ESTENDE-SE NA TÁBUA E BATE-SE BEM COM A FACA, ATÉ FICAR INFORME. ENXUGA-SE E ESTENDE-SE NA PENEIRA PARA SECAR TODA A ÁGUA. COZINHA-SE NO AZEITE-DE-DENDÊ PURO, TEMPERADO COM TODO O RESTO. E A PANELA FICA TAMPADA, PARA SUAR. COME-SE COM ARROZ.
(É UMA COMIDA TÃO BOA, QUE TODOS OS ORIXÁS A ACEITAM, MENOS OXALÁ, QUE TEM LÁ SUAS ESQUISITICES.)



DOBURÚMATERIAL NECESSÁRIO:MILHO ALHO ( PARA PIPOCA ) OU MILHO VERMELHO, AREIA DA PRAIAMANEIRA DE FAZER:NUMA PANELA QUENTE COM AREIA DA PRAIA, ESTOURAR O MILHO E ESTÁ PRONTO O DOBURU.
COLOCAR ENFEITANDO EM CRUZ COM AZEIDE DE DENDÊ

FEIJÃO PRETO E PIPOCA PARA OBALUAÊ
COLOCAR O FEIJÃO PRETO PARA COZINHA.ASSIM QUE ESTIVER COZIDO, COLOCA-SE NUM ALGUIDAR E SE FAZ UMA CRUZ COM A PIPOCA,PODE REGAR COM DE DENDÊ NO FEIJÃO.

FEIJÃO PARA OBAK=LUAÊ

MATERIAL NECESSÁRIO:FEIJÃO FRADINHO, MILHO VERMELHO, CEBOLA, AZEITE-DE-DENDÊMANEIRA DE FAZER:COZINHA-SE O FEIJÃO FRADINHO EM ÁGUA. SEPARADO, COZINHA-SE O MILHO VERMELHO TAMBÉM EM ÁGUA. DEPOIS, JUNTAR O FEIJÃO E O MILHO, NUM REFOGADO DE CEBOLA RALADA COM AZEITE-DE-DENDÊ.
FOLHA DE TAIOBA PARA OBALUAÊ
MATERIAL NECESSÁRIO: FOLHA DE TAIOBA OU MOSTARDA, CEBOLA RALADA, CAMARÃO SECO SOCADO, AZEITE-DE-DENDÊMANEIRA DE FAZER:COZINHA-SE BEM A FOLHA DE TAIOBA OU MOSTARDA,E EM SEGUIDA TEMPERA-SE NUM REFOGADO DE CEBOLA RALADA, CAMARÃO SECO SOCADO E AZEITE-DE-DENDÊ.


OMOLOCUM PARA OBALUAÊ

INGREDIENTES

UM QUILO DE FEIJÃO FRADINHO
UMA GARRAFA DE AZEITE DE DENDÊ
TRÊS OVOS
UMA VELA DE SETE DIAS PRETA E BRANCA
FLORES VERMELHAS OU DE PREFERÊNCIA CRAVO VERMELHO
UM ALGUIDAR

MODO DE FAZER

COZINHAR O FEIJÃO FRADINHO COM DENDÊ. EM SEGUIDA, AMASSÁ-LO COM COLHER DE PAU. COZINHAR OS OVOS, DEPOIS RETIRAR-LHE AS CASAS.
COLOCA-SE O PUDIM DE FEIJÃO NO ALGUIDAR, ENFEITA-SE COM OS OVOS COZIDOS, REGADOS COM AZEITE DE DENDÊ.
ACENDER A VELA E ENFEITAR COM AS FLORES OU SÓ DEIXA-LAS DE LADO.


DANÇA DE OBALUAÊ: SUA DANÇA É LENTA, PESADA, CURVADA, DEMONSTRANDO SUA IDADE E VELHICE.

O QUE PEDIR A ESTE ORIXÁ: , HARMONIA DE SEUS FILHOS. SAÚDE FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL.
SAÚDE, PRINCIPALMENTE A SAÚDE PORQUE ESTÁ NÃO NOS FALTAMOS ALCANÇAREMOS OUTRAS COISAS

FLORES: CRAVO VERMELHO,ROSA VERMELHA FLOR DE SABUGUEIRO

FRUTAS: JACA, BANANA DA TERRA, LIMA, ABACAXI, FRUTA PÃO,FRUTA DO CONDE,ARATICUM









NANÃ BURUKÊ

“ HOJE É DIA DE FESTA...
O TERREIRO TODO ENFEITADO,
COM FLORES DE MANACÁ, VIOLETAS, ROSAS
OLHO PRO CÉU.
CAI UMA CHUVA GOSTOSA E MIUDA.
A CHUVA ACONCHEGANTE E ACOLHEDORA,
A CHUVA DE NANÃ
CONFIRMANDO SEUS FILHOS...
QUE COISA TÃO LINDA!
QUE COISA TÃO BELA!
VER NANÃ ...
ELA É A MÃE MAIS VELHA,
NOS ABENÇOE MINHA VELHA...
SALUBÁ NANÃ,
SALUBÁ NANÃ BURUKÊ ”


NANÃ BURUKÊ: É UM ORIXÁ FEMININO DE ORIGEM DAOMEANA, QUE FOI INCORPORADO PELA CULTURA IORUBANA, QUANDO ESTE POVO CONQUISTOU O POVO DO DAOMEDANO, ASSIMILANDO SUA CULTURA E INCORPORANDO ALGUNS DOS ORIXÁS DAOMEDANOS À SUA RELIGIOSIDADE.
É NA SÍNTESE, A MAIS VELHA DOS DEUSAS DA ÁGUA, TENDO ASSOCIAÇÕES TANTO COM A MORTE E VIDA, COMO COM A POSIÇÃO RESERVADA AOS VELHOS SÁBIOS EM QUALQUER SOCIEDADE.
SE OXUM É A RESPONSÁVEL PELA VIDA QUE VAI NASCER OU ESTA COMEÇANDO, NANÃ FAZ O CAMINHO INVERSO DA MÃE DA ÁGUA DOCE. É ELA QUEM RECONDUZ AO CAMPO ASTRAL AS ALMAS DOS QUE OXUM COLOCOU NO MUNDO REAL. É O ORIXÁ DO REINO DA MORTE, SUA GUARDIÃ, QUEM POSSIBILITA O ACESSO A ESSE TERRITÓRIO DO DESCONHECIDO.
REGE JUNTAMENTE COM OXALÁ, A PASSAGEM DOS SERES ENCARNADOS PARA O OUTRO LADO DA VIDA. NANÃ É QUEM RECONDUZ AO ASTRAL AS ALMAS.
MUITOS SÃO PORTANTO OS MISTÉRIOS QUE NANÃ- TERRA ESCONDE, POIS NELA ENTRAM OS MORTOS E ATRAVÉS DELA SÃO MODIFICADOS PARA PODEREM NASCER NOVAMENTE. SÓ ATRAVÉS DA MORTE É QUE PODERÁ ACONTECER PARA CADA UM, A NOVA ENCARNAÇÃO, O NOVO NASCIMENTO, A VIVÊNCIA DE UM NOVO DESTINO – E A RESPONSÁVEL POR ESTE PERÍODO É JUSTAMENTE NANÃ BURUKÊ.
ALÉM DA ASSOCIAÇÃO COM A TERRA, NANÃ É TAMBÉM A LAMA, O LODO DO FUNDO DOS RIOS E DOS MARES EM GERAL. É, ENTÃO, POR EXTENSÃO, O ORIXÁ DOS PÂNTANOS. A ENERGIA DA CHUVA MANSA, QUE CAI DIAS E DIAS SEM PARAR. É A ENERGIA QUE TERIA A MÃE BRANDA E ZELADORA.

LENDA DE NANÃ BURUKÊ

ESTA É UMA ORIXÁ MUITO ANTIGA, QUE EM DIVERSOS MITOS APARECE COMO CO-CRIADORA DO MUNDO (NO MESMO PATAMAR DE OXALÁ E DE OLORUM). É UMA DAS ESPOSAS DE OXALÁ (AO LADO DE IEMANJÁ) E EM MUITAS REGIÕES BRASILEIRAS RECEBE O CARINHOSO APELIDO DE VOVÓ. TEM COMO ATRIBUTOS A FECUNDIDADE, A RIQUEZA E O CICLO DE MORTE E RENASCIMENTO. SEU DOMÍNIO É A LAMA, MISTURA DE TERRA E ÁGUA QUE SIMBOLIZA A ORIGEM DA VIDA. NO SINCRETISMO RELIGIOSO, ESTÁ ASSOCIADA A SANTA ANA, MÃE DE MARIA.



COR A SER MENTALIZADA: ROXO, VIOLETA

O QUE SER MENTALIZADO: OS PÂNTANOS, LAGOS DE ÁGUA PARADA, CHUVA MIÚDA, BARRO.
ELEMENTO: TERRA E ÁGUA

CÂNTICOS: SUAVES (COMO É SUAVE A CHUVA FININHA), ROGATÓRIOS, OU EMBALANTES.


“ AS ROSAS SE DESPETALARAM
NO ROMPER DA AURORA
NO JARDIM EM FLOR
A ROSA DA UMBANDA É NANÃ
OI SARAVÁ NANÃ
NANÃ BURUKÊ ”

GUIAS: AS GUIAS DE NANÃ SÃO ROXAS DE CRISTAL. EM NOSSA CASA BRANCA PADRONIZAMOS A GUIA DE CRISTAL Nº 8. SÃO FEITAS EM MÚLTIPLOS DE 7 DE FORMA A CONTORNAR O PLEXO SOLAR. ESTA GUIA SÓ PODE SER USADA PELOS MÉDIUNS QUE SE AFINAM DE UMA FORMA INCOMUM COM ESTA ENERGIA, APÓS ENTENDIMENTO E CONVERSA COM OS ZELADORES, E DEVE NASCER APÓS A QUINTA OBRIGAÇÃO: (OS DOIS ORIXÁS), QUE É DADA PELOS ZELADORES DA CASA E SOB SUA RESPONSABILIDADE.

CARACTERÍSTICAS DE SEUS FILHOS: NO GERAL SÃO PESSOAS INTROSPECTIVAS, PENSATIVAS, INTROVERTIDAS. AQUELAS REGIDAS POR NANÃ, SÃO PESSOAS QUE AMADURECEM SUAS PERSONALIDADES AINDA BEM JOVEM. PRECOCE EM QUASE TUDO, AS MULHERES MENSTRUAM MAIS CEDO E SE TORNAM RESPONSÁVEIS EM TENRA IDADE. SÃO PESSOAS QUE TAMBÉM VIVEM MUITO. GOSTAM DE CRIANÇAS, SÃO OTIMISTAS E SINCERAS. SÃO OBJETIVAS, APARENTAM SER “SECAS’ MAS ISTO É MAIS UM TRAÇO DE PERSONALIDADE. TÊM MUITA LIDERANÇA, DISPOSIÇÃO A COLABORAR, TÊM UM SENSÍVEL INSTINTO DE COOPERAÇÃO. AS PESSOAS REGIDAS POR NANÃ, AGEM COM CALMA E BENEVOLÊNCIA, DIGNIDADE E GENTILEZA.

DIA EM QUE SE COMEMORA MANÃ: 26 DE JULHO (DE ACORDO COM O CALENDÁRIO OFICIAL DE UMBANDA)

DIA DA SEMANA: SEGUNDA-FEIRA E SÁBADO

OFERENDAS DE NANÃ:

NANÃ - FOLHA DE MOSTARDA COM ARROZ.

FAZER UM ARROOZ UM POUCO PAPADO.COLOCAR DENTRO DE UM ENFEITE OU XÍCARA.
NUM ALGUIDAR ORAR COM FOLHAS DE MOSTARDAS FAZENDO UMA FLOR BEM BONITA.DEMPOIS PASSAR O ARROZ ARMADO NO AGUIDAR TENDO AS FOLHAS DE MOSTRARDA COMO FLORES DE ENFEITES


ARROZ COM REPOLHO:
COZINHAR O REPOLHOS PARA TIRAR O ROXO DELE. NA MESMA ÁGUA COZINHAR OREPOLHO PARA QUE O ARROZ FIQUE ROXINHO.

ENFEITAR O PRATO COM FOÇHAS DE REPOLHO ROXO E COLOCAR O AROOZ POR SIMA.

EFÓ
MEIO QUILO DE CAMARÃO SECO, DESCASCADO. PIMENTA-MALAGUETA EM PÓ. MEIO DENTE DE ALHO. UMA CEBOLA. UMA PITADA DE COENTRO. UM MAÇO DE ( LÍNGUA-DE-VACA OU TAIOBA, OU BERTALHA, OU ESPINAFRE, OU MOSTARDA). PRIMEIRO, AFERVENTA-SE A LÍNGUA-DE-VACA, ESCORRE-SE NA PENEIRA, ESTENDE-SE NA TÁBUA E BATE-SE BEM COM A FACA, ATÉ FICAR INFORME. ENXUGA-SE E ESTENDE-SE NA PENEIRA PARA SECAR TODA A ÁGUA. COZINHA-SE NO AZEITE-DE-DENDÊ PURO, TEMPERADO COM TODO O RESTO. E A PANELA FICA TAMPADA, PARA SUAR. COME-SE COM ARROZ.
(É UMA COMIDA TÃO BOA, QUE TODOS OS ORIXÁS A ACEITAM, MENOS OXALÁ, QUE TEM LÁ SUAS ESQUISITICES.)



DOBURÚMATERIAL NECESSÁRIO:MILHO ALHO ( PARA PIPOCA ) OU MILHO VERMELHO, AREIA DA PRAIAMANEIRA DE FAZER:NUMA PANELA QUENTE COM AREIA DA PRAIA, ESTOURAR O MILHO E ESTÁ PRONTO O DOBURU.

FEIJÃO PARA NANÃ

MATERIAL NECESSÁRIO:FEIJÃO FRADINHO, MILHO VERMELHO, CEBOLA, AZEITE-DE-DENDÊMANEIRA DE FAZER:COZINHA-SE O FEIJÃO FRADINHO EM ÁGUA. SEPARADO, COZINHA-SE O MILHO VERMELHO TAMBÉM EM ÁGUA. DEPOIS, JUNTAR O FEIJÃO E O MILHO, NUM REFOGADO DE CEBOLA RALADA COM AZEITE-DE-DENDÊ.NOTA: OSHUMARÊ E EWÁ COMEM JUNTOS. OSHUMARÊ É A COBRA MACHO E EWÁ A COBRA, CHAMADOS NO JEJÊ DE DAN-BESSÉN OU AZAUNDÔ.MATERIAL NECESSÁRIO: MILHO VERMELHO, FEIJÃO FRADINHO, AZEITE-DE-DENDÊ, CAMARÃO SECO, 1 OBERÓ, 1 INHAME ( GRANDE ), OVOS COZIDOS, 1 CÔCO, 1 LITRO DE MELMANEIRA DE FAZER:COZINHA-SE O MILHO SÓ EM ÁGUA. SEPARADO, COZINHA-SE O FEIJÃO FRADINHO, TAMBÉM SÓ EM ÁGUA. REFOGA-SE O FEIJÃO COM AZEITE-DE-DENDÊ, CEBOLA RALADA E CAMARÃO SECO SOCADO. COLOCA-SE O FEIJÃO EM METADE DE UM OBERÓ E, NA OUTRA METADE O MILHO VERMELHO. FRITA-SE UM INHAME E COLOCA-SE POR CIMA EM FATIAS, EM VOLTA, ENFEITA-SE UM OVOS COZIDOS EM RODELAS, FATIAS DE CÔCO E COLOCA-SE BASTANTE MEL DE ABELHA POR CIMA.

FOLHA DE TAIOBA PARA NANÃ
MATERIAL NECESSÁRIO: FOLHA DE TAIOBA OU MOSTARDA, CEBOLA RALADA, CAMARÃO SECO SOCADO, AZEITE-DE-DENDÊMANEIRA DE FAZER:COZINHA-SE BEM A FOLHA DE TAIOBA OU MOSTARDA,E EM SEGUIDA TEMPERA-SE NUM REFOGADO DE CEBOLA RALADA, CAMARÃO SECO SOCADO E AZEITE-DE-DENDÊ.


FRUTAS:MAMÃO,MELÃO,UVAS ROXAS,BATATA DOCÊ ROXA.REPOLHO ROXO,AMORA,
ORNAMENTAR UM PRATO COM OSTAS FRUTAS E LEGUMES DE MODO QUE FIQUE BEM BONITO.

OMOLOCUM PARA NANÃ

INGREDIENTES

UM QUILO DE FEIJÃO FRADINHO
UMA GARRAFA DE AZEITE DE DENDÊ
UMA LATA DE AZEITE DOCE
TRÊS OVOS
UMA VELA DE SETE DIAS LILÁS
FLORES AMARELAS
UM ALGUIDAR

MODO DE FAZER

COZINHAR O FEIJÃO FRADINHO COM DENDÊ. EM SEGUIDA, AMASSÁ-LO COM COLHER DE PAU. COZINHAR OS OVOS, DEPOIS RETIRAR-LHE AS CASAS.
COLOCA-SE O PUDIM DE FEIJÃO NO ALGUIDAR, ENFEITA-SE COM OS OVOS COZIDOS, REGADOS COM AZEITE DE DENDÊ.
ACENDER A VELA E ENFEITAR COM AS FLORES OU SÓ DEIXA-LAS DE LADO.


DANÇA DE NANÃ: SUA DANÇA É LENTA, PESADA, CURVADA, DEMONSTRANDO SUA IDADE E VELHICE.

O QUE PEDIR A ESTE ORIXÁ: HARMONIA NO LAR, ENTRE CASAIS, PARA FERTILIDADE, ÊXITO NOS NEGÓCIOS, NOS ESTUDOS, HARMONIA DE SEUS FILHOS. SAÚDE FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL.

FLORES: TODAS, DESDE QUE TRAGAM TONALIDADE LILÁS OU ROXA, FLOR DE MARACUJÁ, MANACÁ, HORTÊNCIA LILÁS, VIOLETA, MIOSÓTIS, PALMAS BRANCAS, ROSAS BRANCAS, COPO DE LEITE, FLOR DE LARANJEIRA, ANGÉLICA, PAPOULA ROXA, IPÊ ROXO, QUARESMEIRA.

FRUTAS: MELÃO, MELANCIA, JACA, BANANA DA TERRA, GRAVIOLA, PÊSSEGO, TÂMARA, PÊRA, MAÇÃ, UVAS DE TODAS AS ESPÉCIES.

ERVAS: AGAPANTO LILÁS, AVENCA, CIPRESTE, MANACÁ, QUARESMEIRA, ALFAVACA, MARIANINHA, MÃE BOA, SEMPRE VIVA ROXA, MELÃO DE SÃO CAETANO, ASSA PEIXE, BREDO SEM ESPINHO, ALFAVAQUINHA, JARRINHA, ERVA DE PASSARINHO, CANA DO BREJO, RAMA DE LEITE, TAIOBA, BOLDO, CEDRINHO.

BEBIDAS: ÁGUA DE CHUVA, ÁGUA DE COCO, MEL, DENDÊ, SUMO DE SUAS PRÓPRIAS ERVAS E FURTOS, CHAMPANHE CLARA.

MINERAL: OURO BRANCO

SAUDAÇÃO: “SALUBÁ NANÃ ! SALUBÁ NANÃ BURUKÊ !
NA = PRÓPRIA
NON = QUE
BU = TIRAR UMA PORÇÃO DE ALGO
RU = GERAL
IKU = MORRER, SEPARAR-SE.
ENTÃO NANÃ BURUKÊ QUE DIZER: A ENERGIA QUE TIRA OU GERA UMA PORÇÃO DE ALGO, OU AQUELA QUE GERA E TIRA A VIDA. SALUBA QUE DIZER: SALVE.

PONTOS

RERE / RERE/ RERE/ VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ
RERE / RERE/ RERE/ VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ
NA PORTA DA FITA TEM CANDEIA
VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ
RERE / RERE/ RERE/ VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ
QUEM CORTA O MAL E SALVA VOCÊ
É NANÃ, É NANÃ BURUKÊ
RERE / RERE/ RERE/ VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ
QUEM É MÃE DE OBALUAÊ
É NANÃ, É NANÃ BURUKÊ
RERE / RERE/ RERE/ VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ
EU JÁ LOUVEI IANSÃ , EU JÁ LOUVEI IANSÃ
AGORA É VOCÊ, É NANÃ, É NANÃ BURUKÊ
RERE / RERE/ RERE/ VAMOS SARAVÁ NANÃ BURUKÊ

MARÉ TÁ CHEIA NANÃ
EU QUERO PASSAR
SE EU MORRER OBALUAÊ
VENHA ME SALVAR Ô NANÃ

SÃO FLORES NANÃ SÃO FLORES
SÃO FLORES NANÃ BURUQUÊ
SÃO FLORES NANÃ
SÃO FLORES
DO SEU FILHO OBALUAÊ
NAS HORAS DE AGONIA
QUEM É QUE VEM ME VALER
É SEU FILHO NANÃ É MEU PAI
É SEU FILHO OBALUAÊ

NANÃ, NANÃ OI NANÃ BURUKÊ (BIS)
A SUA SAIA É ROXA
A SUA CASA É DE SAPÉ (BIS)


MAS PORQUE É QUE A ÁGUA É FRIA,
MAS PORQUE É QUE A ÁGUA GEME Ô NANÃ (BIS)
VAMOS SARAVA A NANÃ BURUKÊ,
VAMOS SARAVA A NANÃ BURUKÊ (BIS)


IEMANJÁ


IEMANJÁ, MÃE, SEREIA, INAÉ, JANAÍNA, SENHORA DAS ÁGUAS SALGADAS,
SEU TESOURO É UM MISTÉRIO AINDA NO FUNDO DO MAR SAGRADO ONDE É SUA MORADA.
SEUS SAVEIROS TRANSPORTAM ALEGRIAS E DORES...
MAS COM O SEU CANTO E SEUS ENCANTOS, IEMANJÁ FAZ O PESCADOR CHORAR E COM TODA A SUA BELEZA E ENERGIA ENCANTOU A TUDO E A TODOS.
SE VOCÊ DESEJA AGRADAR A RAINHA DO MAR FAÇA AS SUAS OFERENDAS COM MUITA FÉ E AMOR.

IEMANJÁ: É O ALENTO DA CRIAÇÃO, A ENERGIA GERADORA, MANIFESTA-SE NAS ÁGUAS SALGADAS, (NO MAR, CONHECIDO TAMBÉM COMO CALUNGA GRANDE). REGE TAMBÉM TODAS AS SUBSTÂNCIAS QUE SE ENCONTRAM NO FUNDO DOS MARES. COMPARADA COM OS OUTROS ORIXÁS AFRICANOS, O ORIXÁ FEMININO IORUBÁ IEMANJÁ É UMA FIGURA EXTREMAMENTE SIMPLES. ELA É PRÓXIMA DA PAZ E DA AUSÊNCIA DE CONFLITOS, EM OPOSIÇÃO AO MUNDO COLORIDO, RICO E ATÉ MESMO SELVAGEM DOS OUTROS ORIXÁS, POIS REPRESENTA UMA FIGURA EM MUITOS TERMOS PASSIVA: É A MULHER QUE ASSUME SUA CONDIÇÃO DE DONA-DE-CASA, DE ADMINISTRADORA DO LAR, DE MÃE E MULHER EM PERÍODO INTEGRAL.
ELA É UMA DAS FIGURAS MAIS CONHECIDAS NOS CULTOS BRASILEIROS, COM O NOME SEMPRE BEM DIVULGADO PELA IMPRENSA, POIS SUAS FESTAS ANUAIS SEMPRE MOVIMENTAM UM GRANDE NÚMERO DE INICIADOS E SIMPATIZANTES.
SEU CARÁTER É DE TOLERÂNCIA, ACEITAÇÃO E CARINHO. É UMA DAS RAINHAS DAS ÁGUAS, SENDO AS DUAS SALGADAS: ÀS ÁGUAS PROVOCADAS PELO CHORO DA MÃE QUE SOFRE PELA VIDA DE SEUS FILHOS, QUE OS VÊ SE AFASTAREM DE SEU ABRIGO, TOMANDO RUMOS INDEPENDENTES; E O MAR, SUA MORADA.
É A MÃE DE TODOS OS ORIXÁS DE ORIGEM IORUBÁ, SENDO NANÃ BURUKÊ A MÃE DOS ORIXÁS DAOMEDANOS.
TANTO IEMANJÁ COMO OXUM TEM A FUNÇÃO DE CUIDAR DA MATERNIDADE , MAS CADA UMA DOMINA A MATERNIDADE NUM MOMENTO DIFERENTE.
OXUM É A MÃE NO SENTIDO DA FECUNDAÇÃO, GESTAÇÃO E CRIAÇÃO DO BEBÊ, É GUARDIÃ DA PEQUENA CRIANÇA ATÉ QUE ELA COMECE A MOSTRAR SINAIS DE INDEPENDÊNCIA.
IEMANJÁ, POR SUA VEZ, É MÃE DAÍ POR DIANTE, RECEBE A FUNÇÃO DA MATERNIDADE NÃO NO SENTIDO DE GESTAÇÃO, MAS DE EDUCAÇÃO. É A MÃE DE CRIAÇÃO.
IEMANJÁ NÃO É A MÃE QUE OFERECE O PEITO PARA O BEBÊ MAMAR; AO CONTRÁRIO, É A MÃE DO JOVEM E DO ADULTO, A FIGURA MATERNA QUE ACOMPANHA UM SER HUMANO POR TODA A SUA VIDA. É A RESPONSÁVEL PELA SOCIALIZAÇÃO, PELO APRENDIZADO DAS REGRAS DE COMPORTAMENTO, DO ENCAMINHAMENTO DO PROCESSO DE ASSIMILAÇÃO DO PRÓPRIO DESTINO.
MESMO A PESSOA SENDO FILHO DE OUTROS ORIXÁS, IEMANJÁ ESTA SEMPRE POR PERTO PARA AUXILIAR NA CRIAÇÃO.

MÃE D'ÁGUA, RAINHA DAS ONDAS, SEREIA DO MAR, JANAÍNA. IEMANJÁ, MÃE DOS ORIXÁS, A SENHORA DOS LARES, QUE TRAZ A PAZ E A HARMONIA PARA TODAS AS FAMÍLIAS; DIVINDADE DAS ÁGUAS SALGADAS, DOS MARES E OCEANOS; ORIXÁ QUE GERA O MOVIMENTO DAS ÁGUAS; DEUSA DA PÉROLA, ODOYÁ IEMANJÁ.

NÓS, TODOS OS SEUS FILHOS, SIM, PORQUE TODOS SOMOS SEUS FILHOS, TE SAUDAMOS E TE LOUVAMOS - ODOYÁ, ODOYÁ IEMANJÁ !!!

COR A SER MENTALIZADA: AZUL DA COR DO MAR

O QUE MENTALIZAR: O MAR, AS ONDAS DO MAR, O BALANÇO DO MAR ...

ELEMENTO: ÁGUA

CÂNTICOS: SÃO ENTRECORTADOS, ONDULADOS, COMO AS ONDAS DO MAR... SUAVES E ENALTECEM O MAR...

BOTEI MEU BARQUINHO N'ÁGUA PRA ELE PODER NAVEGAR
PEDI LICENÇA PRIMEIRO A MINHA MÃE IEMANJÁ
Ô IEMANJÁ, Ô IEMANJÁ LEVA ELE PRO FUNDO DO MAR

GUIAS: AS GUIAS DE IEMANJÁ SÃO NAS CORES: BRANCA TRANSPARENTE OU AZUL BEM CLARINHAS DE CRISTAL - EM NOSSA CASA BRANCA PADRONIZAMOS A GUIA DE CRISTAL NO 8. SÃO FEITAS EM MÚLTIPLO DE 7 DE FORMA A CONTORNAR O PLEXO SOLAR. ESTA GUIA SÓ PODE SER USADA PELOS MÉDIUNS QUE SE AFINAM DE UMA FORMA INCOMUM COM ESTA ENERGIA, APÓS ENTENDIMENTO E CONVERSA COM OS ZELADORES, E DEVE NASCER APÓS A QUINTA OBRIGAÇÃO: ( OS DOIS ORIXÁS ), QUE É DADA PELOS ZELADORES DA CASA E SOB SUA RESPONSABILIDADE.

CARACTERÍSTICAS DE SEUS FILHOS: SUPER PROTEGEM A TODOS QUE OS CERCAM, FORMOSURA, FRANQUEZA, ALEGRIA, DESCONFIANÇA, GOSTAM DE LUXO, TECIDOS VISTOSOS, JÓIAS, UM POUCO CHANTAGISTAS EMOCIONAIS, NÃO GOSTAM DE VIVER SOZINHOS, NÃO GOSTAM DE EMPREGOS COMPETITIVOS QUE PAREÇAM UMA BATALHA, MENTEM COM UMA CERTA FACILIDADE E NÃO JOGAM NA VIDA MUITO "ABERTO" (SUAS COISAS SÃO ENVOLTAS NUM CERTO "QUE MISTERIOSO") ORGULHOSAS, CHORONAS, MUITO SENSÍVEIS ...

DIA QUE SE COMEMORA IEMANJÁ: 15 DE AGOSTO (DE ACORDO COM O CALENDÁRIO OFICIAL DE UMBANDA )

DIA DA SEMANA: SÁBADO

A DANÇA DE IEMANJÁ: SUAVE COMO SE ESTIVASSE SENDO EMBALADA NAS ONDAS DO MAR.

A SAÚDE E OS FILHOS DE IEMANJÁ: PROBLEMAS DE RINS, OVÁRIOS, FRAQUEZA UTERINA - (NAS PARTES BAIXAS) TANTO DOS HOMENS QUANTO DAS MULHERES. DEFICIÊNCIA CIRCULATÓRIA. NOS HOMENS MUITOS PROBLEMAS DE ESTÔMAGO.

O QUE PEDIR A ESTE ORIXÁ : HARMONIA NO LAR, ENTRE CASAIS, ENTRE AMIGOS E ENAMORADOS; PARA FERTILIDADE, RIQUEZA, ÊXITO NOS NEGÓCIOS, E HARMONIA. SAÚDE FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL

FLORES: PALMA BRANCA, ROSAS BRANCAS, COPO DE LEITE, FLORES BRANCAS EM GERAL, FLOR DE LARANJEIRA, ANGÉLICA, HORTÊNCIA BRANCA, ( PEGA TAMBÉM AS FLORES DE NANÃ E OXUM )

FRUTAS: GRAVIOLA, PÊSSEGO, MELÃO, MELANCIA, TÂMARA, PÊRA, MAÇÃ, UVA DE TODAS AS ESPÉCIES.

ERVAS: ALFAVAQUINHA, CANA DO BREJO, POEJO, RAMA DE LEITE, JARRINHA, ERVA DE SANTA LUZIA, LÁGRIMA DE NOSSA SENHORA ( CONTAS E FOLHAS ), MANJERICÃO, ALFAZEMA, JASMIM, MANGERONA, MALVA BRANCA.

BEBIDAS: CHAMPANHE, ÁGUA DO MAR E SUMO DE SUAS PRÓPRIAS ERVAS

MINERAL: PRATA.

OFERENDAS: TODAS AS VEZES QUE OS ZELADORES OU A DIREÇÃO ESPIRITUAL DA CASA PERCEBE A NECESSIDADE DE UM FILHO FAZER UMA OFERENDA PARA UM ORIXÁ LHE SERÁ DADO O PEDIDO E MARCADO O DIA A SER FEITO..
SAUDAÇÃO: "ODOYÁ! ODOYÁ IEMANJÁ!"
ODO = RIO
YA = MÃE
SALVE A MÃE DO RIO, OU AINDA
ODOFEIABA:
CORRUPTELA DE ODO = RIO
FÊ = AMADA;
EABÁ = IYÀÀGBA = SENHORA = AMADA SENHORA DO RIO. É UMA ENERGIA FEMININA.

COMIDAS DE IEMANJÁ

CAMARÃO DE IEMANJÁ

250 GRAMAS DE CAMARÃO SECO, RALADO,
TEMPERE COM CEBOLA, COENTRO,
1 LATA DE AZEITE DÔCE
LEITE DE COCO PURO. COZINHE BASTANTE, ATÉ QUE A MASSA FIQUE TODA NO AZEITE. BATA UMA DÚZIA DE OVOS, COM AS GEMAS, E CUBRA A MASSA, BAIXANDO BEM O FOGO.
HÁ QUEM PREFIRA FAZER NO FORNO.

EJÁ
RALE BASTANTE COENTRO E CEBOLA, ATÉ FORMAR UMA PASTA. TEMPERE COM SAL E SUCO DE LIMÃO. JUNTE LASCAS DE PEIXE COZIDO E AZEITE-DE-DENDÊ.

MANJAR PARA IEMANJÁ

MATERIAL
1 PACOTE DE CREME DE ARROZ OU DE MAIZENA
LEITE DE COCO
1 COCO RALADO ( COCO DE VERDADE)
1 VIDRO DE MEL
ROSAS BRANCAS OU FLORES AZUIS

PREPARO
FAZER O MANJAR E LEVÁ-LO NA FORMA. O RESTANTE SERÁ FEITO NO TERREIRO (PEGAR FORMA COM LUCIENE).

DIBÓ

MATERIAL NECESSÁRIO:CANJICA COZIDA, AZEITE DOCE, CAMARÃO SECO SOCADO, CEBOLA RALADAMANEIRA DE FAZER:COZINHA-SE A CANJICA, TEMPERA-SE COM AZEITE DOCE, CAMARÃO SECO SOCADO E CEBOLA RALADA.




CANJICA BRANCA COZIDA MISTURADA COM SALSA E MERENGUES ( SUSPIRO)
OPCIONAL: FLORES, LEQUE, PENTE, ESPELHO, PERFUME, PERAS, MELANCIAS, MANJAR DE COCO, TAINHA OU CORVINA ASSADA.O LUGAR ONDE SE LEVA AS OFERENDA ONDE SE DESPACHA.IEMANJÁ BOCÍ, BOMI NA BEIRA DA PRAIA DE ÁGUA SALGADA OU D



CANJICA DE IEMANJÁ
CANJICA BRANCA, AÇÚCAR E MERENGUES.OPCIONAL: FLORES, LEQUE, PENTE, ESPELHO, PERFUME, PERAS, , MANJAR DE COCO, COCO RALADO


Obrigação para Ogum na Casa Branca de Oxalá

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Ervas de Exú

Exu
ERVAS E FINALIDADES NO RITUAL E NA MEDICINA POPULAR
A
Açucena-rajada - é usada a cebola no ritual. É infalível para se descobrir falsidade. É empregada em sacudimento, em local de trabalho e em casa.
Amendoeira: seus galhos são usados nos sacudimentos locais, ou seja, nos locais em que o homem exerce suas atividades lucrativas. Na medicina caseira, seus frutos são comestíveis, porém em grandes quantidades, causam diarréia de sangue. Das sementes fabrica-se o óleo de amêndoas, muito usado para fazer sabonetes por ter efeitos emolientes, além de amaciar a pele.
Amoreira: planta que armazena fluidos negativos e os solta ao entardecer, é usada pelos sacerdotes no culto a eguns. Na medicina caseira, é usada para debelar as inflamações da boca e garganta.
Angelim-amargoso: Muito usado em marcenaria, por tratar-se de madeira de lei. Nos rituais, suas folhas e flores são utilizadas nos abô dos filhos de Nanã, e as cascas são utilizadas em banhos fortes com a finalidade de destruir os fluidos negativos que possam haver, realizando um excelente descarrego nos filhos de Exu. A medicina caseira indica o pó de suas sementes contra vermes. Mas cuidado! Deve ser usada em doses pequenas.
Aroeira: Nos terreiros de Candomblé este vegetal pertence a Exu e tem aplicação nas obrigações de cabeça, nos sacudimentos, nos banhos fortes de descarrego e nas purificações de pedras. É usada como adstringente na medicina caseira, apressa a cura de feridas e úlceras, e resolve casos de inflamações do aparelho genital. Também é de grande eficácia nas lavagens genitais.
Arrebenta cavalo: no uso ritualístico esta erva é empregada do pescoço para baixo, em hora aberta. É também usado em magias para atrair simpatia. Não é usada na medicina caseira. Banho com folha de aroeira, açoita-cavalo, pinhão-roxo e vassourinha-de-relógio.
Arruda: Planta aromática usada nos rituais porque Exu a indica contra maus fluidos e olho-grande. Suas folhas miúdas são aplicadas nos ebori, banhos de limpeza ou descarrego, o que é fácil de perceber, pois se o ambiente estiver realmente carregado a arruda morre. Ela é também usada como amuleto para proteger do mau-olhado. Seu uso restringe-se à Umbanda. Em seu uso caseiro é aplicada contra a verminose e reumatismos, além de seu sumo curar feridas. A de folha graúda é usada contra olho-grande, mau-olhado e inveja. Fabricam-se amuletos e figas.
Avelós - Figueira do Diabo: seu uso se restringe a purificação das pedras do orixá antes de serem levadas ao assentamento, é usada socada. A medicina caseira indica esta erva para combater úlceras e resolver tumores. Planta de origem africana.
Azevinho: Muito utilizada na magia branca ou negra, ela é empregada nos pactos com entidades. Não é usada na medicina popular.
B
Bananeira – folhada usada para (erankó), preparado de akasa, ekuru. O pendão floral serve para ebó.
Bardana: Aplicada nos banhos fortes, para livrar o sacerdote das ondas negativas e eguns. O povo utiliza sua raiz cozida no tratamento de sarnas, tumores e doenças venéreas.
Bate-testa: Obrigações de Ori.
Beladona : Nas cerimônias litúrgicas só tem emprego nos sacudimentos domiciliares ou de locais onde o homem exerça atividades lucrativas. Trabalhos feitos com os galhos desta planta também provocam grande poder de atração. Pouco usada pelo povo devido ao alto princípio ativo que nela existe. Este princípio dilata a pupila e diminui as secreções sudorais, salivares, pancreáticas e lácteas.
Beldroega: Usada na purificação das pedras de Exu. O povo utiliza suas folhas, socadas, para apressar cicatrizações de feridas.
Bredo –fedorento: o mesmo que mussambé-de-cinco folhas.
Brinco-de-princesa: É planta sagrada de Exu. Seu uso se restringe a banhos fortes para proteger os filhos deste orixá. Não possui uso popular. Existe uma qualidade originária da áfrica do sul, talvez a Papoula.
C
Caa-hobi: O mesmo que Anileira.
Cabeça-de-nego: No ritual a rama é empregada nos banhos de limpeza e o bulbo nos banhos fortes de descarrego. Esta batata combate reumatismo, menstruações difíceis, inflamações vaginais e uterinas.
Cajueiro: Suas folhas são utilizadas pelo axogun para o sacrifício ritual de animais quadrúpedes. Em seu uso caseiro, ele combate corrimentos. Põe fim a diabetes. Cozinhar as cascas em um litro e meio de água por cinco minutos e depois fazer gargarejos, põe fim ao mau hálito.
Camapu: Obrigações no Ori.
Cana-de-açúcar: Suas folhas secas e bagaços são usadas em defumações para purificar o ambiente antes dos trabalhos ritualísticos, pois essa defumação destrói eguns. Não possui uso na medicina caseira. O fruto cortado em rolete é oferecido a exu.
Cansanção-da-folha-grande: O mesmo que cansanção verdadeiro e urtigão.
Cansanção-verdadeiro: Ebó de defesa. Assento okutá. Os orixás usam os galhos para exemplarem seus aborixás.
Cardo-santo: Essa planta afugenta os males, propicia o aparecimento do perdido e faz cair os vermes do corpo dos animais. Na medicina caseira suas folhas são empregadas em oftalmias crônicas, enquanto as raízes e hastes são empregadas contra inflamações da bexiga.
Canudo: O mesmo que mata-cobras.
Carrapateira – ewe lara: As folhas são usadas no ipade iyawo, oferecimento de onjé erankó aos orixás.
Catingueira: É muito empregada nos banhos de descarrego. Seu sumo serve para fazer a purificação das pedras. Entretanto, não deve fazer parte do axé de Exu onde se depositam pequenos pedaços dos axé das aves ou bichos de quatro patas. Na medicina caseira ela é indicada para menstruações difíceis. Banho descarrego. Assento okutá
Cebola – usada no preparo das comidas dos orixás, para enfeitar obrigações exu. Serve para confirmação de jogo co owo eyó merin.
Cebola-cencém: O mesmo que açucena-rajada. Essa cebola é de Exu e nos rituais seu bulbo é usado para os sacudimentos domiciliares. É empregada da seguinte maneira: corta-se a cebola em pedaços miúdos e, sob os cânticos de Exu, espalha-se pelos cantos dos cômodos e embaixo dos móveis; a seguir, entoe o canto de Ogum e despache para Exu. Este trabalho auxilia na descoberta de falsidades e objetos perdidos. O povo utiliza suas folhas cozidas como emoliente.
Cebola-do-mato: Sem aplicação específica.
Chapéu-turco: Origem africana. Serve para enfeitar casa de exu. Banho de descarrego.
Cunabi: O mesmo que cunanã e cunanan.
Cunanã: Seu uso restringe-se aos banhos de descarrego e limpeza. Substituiu em parte, os sacrifícios a Exu. A medicina caseira indica os galhos novos desta planta para curar úlceras.
Cunanan: O mesmo que cunanã e cunabi.
E
Erva-dos-cachos: O mesmo que tintureira.
Erva-preá: Empregada nos banhos de limpeza, descarrego, sacudimentos pessoais e domiciliares. O povo usa o chá desta erva como aromatizante e excitante. Banhos quentes deste chá melhoram as dores nas articulações, causadas pelo artritismo.
Erva-queimadeira: Ebó de defesa. Banho.
Erva-do-tinhoso: O mesmo que bardana.

F
Facheiro: O mesmo que xiquexique.
Facheiro-Preto: Aplicada somente nos banhos fortes de limpeza e descarrego. Na medicina caseira, ela é utilizada nas afecções renais e nas diarréias.
Fedegoso: Misturada a outras ervas pertencentes a Exu, o fedegoso realiza os sacudimentos domiciliares. É de grande utilidade para limpar o solo onde foram riscados os pontos de Exu e locais de despacho pertencentes ao deus da liberdade.
Fedegoso-crista-de-galo (rj): É preparado um pó com as folhas, flores e semente, chamado pó benfazejo. Esta erva é utilizada em banhos fortes, de descarrego, pois é eficaz na destruição de Eguns e causadores de enfermidades e doenças. Seus galhos envolvem os ebó de defesa. Com flores e sementes desta planta é feito um pó, o qual é aplicado sobre as pessoas e em locais; é denominado “o pó que faz bem”. Na medicina caseira atua com excelente regulador feminino. Além de agir com grande eficácia sobre erisipelas e males do fígado. É usada pelo povo, fazendo o chá com toda erva e bebendo a cada duas horas uma xícara.
Feijão-fradinho: Esu je ewa torrado e akara.
Figo Benjamim: Erva usada na purificação de pedras ou ferramentas e na preparação do fetiche de Exu. É empregada também em banhos fortes nas pessoas obsediadas. No uso popular, suas folhas são cozidas para tratar feridas rebeldes e debelar o reumatismo.
Figo do Inferno: Somente as folhas pertencentes a este vegetal são de Exu. Na liturgia, ela é o ponto de concentração de Exu. Não possui uso na medicina popular. De origem africana. O mesmo que aveloz e gaiolinha.
Folha da Fortuna: É empregada em todas as obrigações de cabeça, em banhos de limpeza ou descarrego e nos abôs de quaisquer filhos-de-santo. Na medicina caseira é consagrada por sua eficácia, curando cortes, acelerando a cura nas cicatrizações, contusões e escoriações, usando as folhas socadas sobre os ferimentos. O suco desta erva, puro ou misturado ao leite, ameniza as conseqüências de tombos e quedas.
G
Gaiolinha: Origem africana. O mesmo que aveloz.
Gratia dei: O mesmo que urtiga branca.
Guararema: O mesmo que pau d’alho.
J
Japecanga: Ebó de defesa. Banho de descarrego.
Jaracatiá: Banho à zero hora em encruzilhada aberta.
Juá – Juazeiro: É usada para complementar banhos fortes e raramente está incluída nos banhos de limpeza e descarrego. Seus galhos são usados para cobrir o ebó de defesa. A medicina caseira a indica nas doenças do peito, nos ferimentos e contusões, aplicando as cascas, por natureza, amargas.
Juciri: Banho.
Juquilho: Assento ere exu.
Juquirioba: O mesmo que juciri e jurubeba.
Jurema Preta: Tanto na Umbanda quanto no Candomblé, a Jurema Preta é usada nos banhos de descarrego e nos ebó de defesa. O povo a indica no combate a úlceras e cancros, usando o chá das cascas.
Jurubeba: O mesmo que juciri e juquirioba. Utilizada em banhos preparatórios de filhos recolhidos ao ariaxé. Na medicina caseira, o chá de suas folhas e frutos propiciam um melhor funcionamento do baço e fígado. É poderoso desobstruente e tônico, além de prevenir e debelar hepatites. Banhos de assentos mornos com essa erva propiciam melhoras às articulações das pernas.
L
Limãozinho: Abo; assento ere exu. Banho.
Lanterna chinesa: utilizada em banhos fortes para descarregar os filhos atacados por eguns. Suas flores enfeitam a casa de exú. Popularmente, é usada como adstringente e a infusão de suas flores é indicada para a inflamação dos olhos.
Laranjeira do Mato: Seu uso se restringe a banhos fortes, de limpeza e descarrego. Na medicina caseira ela atua com grande eficácia sobre as cólicas abdominais e também menstruais.
M
Malvarisco: Banho.
Mamão Bravo: Planta utilizada nos banhos de limpeza, descarrego e nos banhos fortes. Além de ser muito empregada nos ebó de defesa, sendo substituída de três em três dias, porque o orixá exige que a erva esteja sempre nova. O povo a utiliza para curar feridas.
Maminha de Porca: Somente seus galhos são usados no ritual e em sacudimentos domiciliares. O povo a indica como restaurador orgânico e tonificador do organismo. Sua casca cozida tem grande eficácia sobre as mordeduras de cobra.
Mamoneira: O mesmo que carrapateira.
Mamona: Suas folhas servem como recipiente para arriar o ebó de Exu. Suas sementes socadas vão servir para purificar o otá de Exu. Não tem uso na medicina popular.
Mandacaru (cactos): O mesmo que xiquexique.
Mangue Cebola: No ritual, a cebola é usada nos sacudimentos domiciliares. Corte a cebola em pedaços miúdos e, entoando em voz alta o canto de Exu, a espalhe pela casa, nos cantos e sob os móveis. Na medicina caseira, a cebola do mangue esmagada cura feridas rebeldes. O mesmo que cebola do mato.
Mangueira: é aplicada nos banhos fortes e nas obrigações de ori, misturada com aroeira, pinhão-roxo, cajueiro e vassourinha de relógio, do pescoço para baixo. As folhas servem para cobrir o salão da casa em dias de toque. Na medicina caseira é usada contra diarréias e asma. O cozimento das folhas, em lavagens vaginais, põe fim ao corrimento.
Manjerioba: Utilizada nos banhos fortes, nos descarregos, nas limpezas pessoais e domiciliares e nos sacudimentos pessoais, sempre do pescoço para baixo. O povo a indica como regulador menstrual, beneficiando os órgãos genitais. Utiliza-se o chá em cozimento.
Maria Mole: Aplicada nos banhos de limpeza e descarrego, muito procurada para sacudimentos domiciliares. O povo a indica em cozimento nas dispepsias e como excelente adstringente.
Maria-preta: O mesmo que erva preá.
Mata Cabras: Muito utilizado para afugentar eguns e destruir larvas astrais. As pessoas que a usam não devem tocá-la sem cobrir as mãos com pano ou papel, para depois despachá-la na encruzilhada. O povo indica o cozimento de suas folhas e caules para tirar dores dos pés e pernas, com banho morno.
Mata Pasto: Seus galhos são muito utilizados nos banhos de limpeza, descarrego, nos sacudimentos pessoais e domiciliares. O povo a indica contra febres malignas e incômodos digestivos.
Morcegueira: O mesmo angelim-amargoso.
Mussambé-branco: O mesmo que mussambé-de-cinco-folhas.
Mussambê de Cinco Folhas: Sejam eles de sete, cinco, ou três folhas, todos possuem o mesmo efeito, tanto nos trabalhos rituais, quanto na medicina caseira. Esta erva é utilizada por seus efeitos positivos e por serem bem aceitas por Exu no ritual de boas vindas. Na medicina caseira é excelente para curar feridas.
Mussambé-de-espinho: O mesmo que mussambé-de-cinco-folhas
Mussambé-de-sete-folhas: O mesmo que mussambé-de-cinco- folhas
Mussambe-de-três-folhas: O mesmo que mussambe-de-cinco- folhas.

Locutório


2º locutório mineiro da CONUB